Nos primeiros anos de vida, a criança passa por grandes mudanças. Em pouco tempo, ela vivencia descobertas e aprende a se relacionar com as outras pessoas. A agressividade na infância pode acontecer muitas vezes como resposta a emoções desagradáveis — e lidar com isso é um grande um desafio.

Diversos fatores podem ser estressantes nessa fase e os pais devem ficar atentos aos sinais do filho e se ele está passando por alguma tensão. É preciso observar a criança em diferentes ambientes e situações para perceber o que pode estar provocando as reações mais agressivas. Dessa forma, você pode seguir algumas alternativas para resolver este problema e que já será um ótimo começo. Vamos a elas!

Como identificar a agressividade nas crianças?

Certo nível de agressividade é inevitável em todos os seres humanos. É comum, por exemplo, em alguns momentos, a criança bater o brinquedo com um pouco mais de força, jogar algo longe ou puxar os cabelos de pessoas que estão próximas. Essas reações não necessariamente sinalizam algum tipo de estresse, sendo apenas uma forma de explorar o mundo e testar como as coisas funcionam.

Mas atitudes assim podem, muitas vezes, expressar algumas emoções negativas. Quem convive com crianças pequenas, principalmente aquelas que ainda não conseguem dominar a comunicação verbal, sabe que é muito comum reações com mordidas, tapas, puxões de cabelo ou gritos quando não conseguem aquilo que querem, ou se estão incomodadas. Isso acontece justamente por causa de uma dificuldade para conseguirem se expressar. Com o amadurecimento da fala, e das relações sociais, a tendência é que esse tipo de comportamento diminua.

Ainda assim, é importante conversar com os pequenos sobre o risco de se machucarem ou de machucarem outra pessoa. Mesmo que a criança ainda não consiga falar ou compreender tudo o que você diz, a conversa é importante para estabelecer uma boa relação e estimula a comunicação do bebê.

Quando situações de explosão acontecem apenas de vez em quando, elas podem ser contornadas com uma conversa atenciosa. Mostre a seu filho que existem outras formas de lidar com essas emoções, sem precisar partir para reações agressivas. Mostre que ele também sai perdendo quando age assim, como por exemplo, que acabou sendo prejudicado ficando sem os brinquedos que gosta, pois eles foram quebrados.

Os pais devem ficar mais atentos quando situações assim se tornam muito frequentes. Se a criança sempre reage a tudo com birras e agressões, é preciso ter um cuidado maior. Quando esses comportamentos passam a ser permanentes, é sinal de que aquela criança está vivendo alguma situação desagradável com a qual ela não está conseguindo lidar.

Quais as possíveis causas do comportamento agressivo?

São muitos os fatores que podem influenciar o comportamento dos pequenos e que devem ser observados quando os sinais de estresse surgirem. Mudanças no ambiente familiar, como a chegada de um bebê, brigas frequentes entre os adultos, ou separação dos pais, são experiências mexem com as emoções da criança.

A relação entre as pessoas que fazem parte do cotidiano da criança também é importante. O aprendizado acontece em sua maior parte pelo exemplo. Se alguém de convivência próxima demonstra comportamento agressivo, é muito provável que a criança reproduza esse tipo de atitude também, porque é assim que ela entende que a convivência entre as pessoas se dá.

As causas da agressividade na infância também podem estar fora de casa. É válido observar se está acontecendo um período de adaptação na escola, possíveis problemas na relação com os amigos e até mesmo a adequação dos programas que são vistos com frequência na televisão.

Como lidar com a agressividade na infância?

É preciso ajudar a criança a lidar com as próprias emoções para evitar que ela tenha um comportamento agressivo. Confira algumas dicas para diminuir o estresse infantil e fazer com que esses impulsos sejam direcionados para outras atividades que não sejam prejudiciais a ela ou às outras pessoas.

Estimule atividades físicas

Crianças são cheias de energia e precisam gastá-la de alguma forma. Brincadeiras como correr, pular ou dançar livremente são ótimas para acalmar. Uma boa alternativa também é buscar atividades orientadas como natação, futebol, artes marciais, entre outras. Assim, além de trabalhar a parte física, ainda desenvolve-se a concentração e a disciplina. Permita que a criança experimente e descubra com qual modalidade ela se identifica mais.

Mostre as consequências

É preciso entender que todo comportamento tem consequências. Mostrar à criança os prejuízos de uma ação agressiva são importantes para que ela compreenda o motivo de não ser algo bom a se fazer. É necessário também que ela aprenda a assumir a responsabilidade sobre as suas ações e, na medida do possível, repare os danos: se machucou o colega, cuidar do ferimento logo depois é uma boa alternativa.

Encoraje a criança a falar

Estimule a criança a falar sobre as suas emoções, mostre que você entende o que ela está dizendo e pondere com ela sobre as melhores soluções para o problema que ela apresenta. O enfrentamento nunca é bom quando ela está agindo agressivamente. Ao reagir com uma briga, você mostra que esse tipo de ação é a única forma de resolver os problemas.

Acompanhe os estudos da criança

É fundamental que haja parceria entre a escola e a família. Pergunte aos professores como é o comportamento do seu filho, as relações com os colegas e profissionais que atuam na instituição, assim como com as tarefas propostas. Muitas vezes as reações das crianças são diferentes longe de casa. Sabendo dessas mudanças, fica mais fácil perceber o que está causando a agressividade.

Ajudar nos estudos também é importante para estreitar o vínculo entre vocês e melhorar a autoconfiança na escola. Crie um ambiente agradável e estimule o prazer em aprender. Assim você também abre espaço para o diálogo a respeito das experiências que acontecem na escola e pode entender mais sobre as emoções da criança.

Procure ajuda profissional

Se o problema for muito intenso ou as medidas que você adotar não despertarem bons resultados, considere buscar uma orientação profissional. Existem ótimos psicólogos especializados no atendimento de crianças que podem indicar as melhores alternativas para cada situação específica. Assim você pode ajudar o seu filho a ter um desenvolvimento mais tranquilo.

Para evitar a agressividade na infância, é preciso que a criança se sinta acolhida pelos adultos à sua volta. Ao mesmo tempo, deve haver firmeza para que ela compreenda que nem todos os comportamentos são permitidos. Dessa forma, cria-se um ambiente seguro, onde ela pode se expressar, conhecer as suas emoções e explorar o mundo.

Você tem alguma experiência com crianças agressivas? Conte nos comentários para a gente!

Powered by Rock Convert