aprendizagem colaborativa

Aprendizagem colaborativa: o que é esse modelo e como aplicá-lo?

Como forma de estimular o aprendizado significativo e habilidades socioemocionais como autonomia, respeito e cooperação, as instituições de ensino vêm apostando, cada vez mais, na implementação de uma metodologia chamada aprendizagem colaborativa.  

O modelo difere de uma abordagem tradicional, sobretudo porque busca colocar o aluno no centro do processo educacional, isto é, protagonista na construção do conhecimento. Nesse sentido, o professor assume o papel de facilitador ou mediador da aprendizagem, ao invés de ser aquele que transmite conteúdos predeterminados.  

A prática consiste em engajar os estudantes, que podem ser separados em equipes de trabalho, em um objetivo comum. Chegar em consensos ou em resoluções possíveis para um determinado problema envolve proatividade na pesquisa, compartilhamento de saberes, espaço para livre expressão, valorização das diferenças, abertura ao diálogo e muito mais.  

Para entender melhor o que é aprendizagem colaborativa, como ela funciona, quais são os seus benefícios e como aplicá-la (inclusive em contextos digitais), continue a leitura!  

O que é aprendizagem colaborativa? 

A aprendizagem colaborativa é um tipo de estratégia pedagógica baseada na participação ativa, interação e cooperação entre os estudantes. A metodologia valoriza muito a livre expressão e a troca de ideias e experiências. Seu objetivo principal é promover a construção coletiva do conhecimento.  

A abordagem, assim, permite que os alunos adquiram o protagonismo do seu próprio processo de aprendizagem. O professor, nesse contexto, assume a função de orientador, tendo a responsabilidade de propiciar acesso a informações, ferramentas e outros meios que julgar necessários para que as crianças e os jovens se sintam capazes de encontrar soluções comuns eficazes para desafios determinados.  

Como funciona? 

Na prática, a aprendizagem colaborativa costuma funcionar por meio de seminários apresentados pelos estudantes, pesquisas pautadas por um tema transversal, rodas de conversa, oficinas de produção e qualquer outra atividade ou dinâmica feita em grupo.  

Em geral, a sala de aula é dividida em equipes de trabalho, cujos integrantes devem reunir esforços para atingirem um objetivo comum. Não há respostas prontas, ou seja, os alunos são motivados a agir com autonomia e cooperativismo para chegarem em consensos e, por fim, realizarem satisfatoriamente as tarefas propostas pelo professor.  

Durante o processo, os envolvidos tanto ensinam quanto aprendem. Desse modo, a aprendizagem colaborativa não só potencializa os conhecimentos e saberes individuais, como também reforça os sentimentos de identidade e pertencimento.  

Qual a importância de adotar a metodologia no ambiente escolar? 

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) dispõe que os professores são responsáveis por assegurar o aprendizado, bem como conduzir os estudantes no processo de desenvolvimento de várias competências sociais. 

Para que a escola possa contribuir de maneira efetiva com a sociedade é importante destacar o seu papel na formação de cidadãos, isto é, de indivíduos capazes de responder aos desafios do seu próprio tempo.  

Nesse sentido, o ensino colaborativo pode ser um grande aliado da educação, uma vez que torna o processo de aprendizagem muito mais motivador e significativo para os estudantes. Além disso, oferece outros benefícios: 

  • melhora habilidades socioemocionais, como autonomia, respeito e empatia; 
  • aumenta o engajamento e a participação;  
  • ensina a lidar com a diversidade e as diferenças de opinião; 
  • alarga as possibilidades de acesso aos conhecimentos; 
  • aperfeiçoa a comunicação, estimulando a argumentação e a escuta ativa; 
  • incentiva o pensamento reflexivo e crítico;
  • ensina a trabalhar em equipe; 
  • cria um ambiente harmônico, de confiança, valorização e cuidados mútuos; 
  • fomenta o interesse pela pesquisa; 
  • contextualiza o aprendizado, com problemas reais e práticos; 
  • amplia a compreensão e a assimilação dos conteúdos; 
  • permite e estimula o uso das novas tecnologias educacionais, entre outros. 

De que modo a aprendizagem colaborativa pode ser implementada? 

Agora que já sabemos um pouco mais sobre a aprendizagem colaborativa e a sua importância no ambiente educacional, que tal algumas dicas práticas de como aplicá-la em sala de aula, inclusive no contexto digital? Vamos lá!  

Criação de uma cultura colaborativa 

A implementação desse tipo de estratégia pedagógica pressupõe a criação anterior de uma cultura colaborativa que envolva toda a comunidade escolar. Isso significa que o senso coletivo deve guiar as ações dos profissionais da instituição, dos alunos e de seus familiares.  

Da mesma maneira, é muito importante construir diálogos com os moradores do bairro e também com participantes de organizações locais. A escola, assim, deve se mostrar receptiva e aberta a quem queira ajudar na construção de uma sociedade mais cooperativa.  

Atividades em grupo 

As atividades em grupo traduzem a essência da aprendizagem colaborativa, pois aproximam várias pessoas em torno de um ideal comum, ou seja, um mesmo projeto. Esse tipo de dinâmica permite que os alunos trabalhem juntos para produzir o conhecimento.  

Como já foi dito, nesse processo, todos aprendem e ensinam. Além do desenvolvimento cognitivo, muitas outras competências individuais e coletivas são estimuladas.  

Rodas de discussão 

As rodas de conversas ou discussões são interessantes para incentivar que os alunos expressem suas opiniões sobre determinados temas ou problemas. A proposta, assim, fomenta a argumentação para defesa do seu próprio ponto de vista, a escuta ativa, o respeito pela posição do outro, ou seja, a comunicação empática e construtiva.  

Aplicação da cultura maker 

A cultura maker colabora para a aplicação dessa metodologia de ensino. Por estar baseada na ideia do “faça você mesmo”, ela estimula o aprendizado por meio da experimentação e da prática. Sustentabilidade, inovação e compartilhamento de ideias são palavras-chave para quem deseja encontrar, ou melhor, construir soluções criativas para os problemas.   

Uso da tecnologia 

As ferramentas digitais fazem parte do cotidiano das crianças e jovens dessa geração, por esse motivo, a tecnologia amplia a motivação, o engajamento e o interesse deles pelo estudo. São inúmeras as possibilidades de utilizá-las de modo produtivo, incentivando a autonomia dos estudantes e a produção coletiva, tais como blogs, chats, fóruns online, podcasts, vídeos e muito mais.  

Vale destacar, por fim, a relevância de os pais participarem ativamente desse processo, buscando, de modo contínuo, estabelecer uma real parceria com a escola em prol da educação dos filhos.   

Se você gostou de receber essas informações sobre aprendizagem colaborativa, o que acha de conhecer os principais tipos de avaliação de aprendizagem

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.