Verificar a eficácia do ensino e da aprendizagem no colégio é um dos maiores desafios para a educação brasileira. Pensando nisso, este texto explica o que é a avaliação qualitativa e a avaliação quantitativa, diferenciando os dois tipos de método de observação aplicados no ambiente pedagógico.

O post também argumenta sobre a importância da avaliação no acompanhamento de desempenho escolar dos seus filhos e explica por que os métodos de análise são válidos para a escola. Além disso, mostra qual é o motivo de se basear na combinação de resultados das avaliações qualitativa e quantitativa.

Ficou curioso sobre o assunto? Então, continue conosco nesta leitura e tire todas as suas dúvidas!

Qual é a importância da avaliação para mensurar o desempenho estudantil?

Não há como falar em sistema de ensino sem mencionar métodos avaliativos, os quais buscam oferecer um comparativo sobre o plano pedagógico e os resultados efetivos da aprendizagem estudantil.

Visando à qualidade das avaliações pedagógicas, existem alguns princípios norteadores dessa verificação. A começar pela integralidade, propondo que o teste considere todos os participantes envolvidos no processo.

A funcionalidade e a orientação também são pontos importantes, os quais se guiam pelos objetivos e determinam uma meta para a prática pedagógica. Por fim, as avaliações devem seguir uma sistematicidade, com base em estruturas bem delimitadas. Além disso, as avaliações escolares têm três principais funções na escola:

  • diagnóstica — são realizados testes ao início do período letivo ou de uma nova unidade, de modo a verificar se os estudantes cumprem os pré-requisitos para acompanhar os temas do semestre ou do ano escolar;
  • formativa — localiza algumas deficiências dos estudantes ao longo do período letivo;
  • somativa — estipula uma classificação ao final do semestre ou do ano letivo, estabelecendo uma classificação final para a turma na visão dos professores responsáveis.

Por isso, pode-se afirmar que as métricas avaliativas são importantes ferramentas para diagnosticar, contínua e pontualmente, se professores e demais funcionários da escola estão conseguindo ajudar os alunos no processo de aquisição de conhecimento formal.

Logo, o resultado obtido após a avaliação pode ser confrontado com os objetivos e as metas escolares anteriores à pesquisa, seja qualitativa, seja quantitativa — auxiliando a reorientação do trabalho em sala de aula e servindo de reflexão para a equipe pedagógica.

Quais são as diferenças entre a avaliação qualitativa e a avaliação quantitativa?

Até aqui, você sabe que as avaliações têm um importante papel dentro da escola, oferecendo uma compreensão aguçada sobre o desempenho dos estudantes. No entanto, a questão é: como os métodos qualitativo e quantitativo se diferenciam?

Respondendo à pergunta, pode-se começar pela avaliação quantitativa, um método classificatório que consegue mensurar, em escala de notas, o rendimento escolar. A técnica é essencial para a função somativa, a ser realizada ao final do processo de análise, conseguindo chegar a uma classificação geral sobre o nível de aprendizagem dos alunos.

Já a avaliação qualitativa não busca informações mensuráveis, e sim observar como o ensino se desenvolve na escola, tanto em aspectos pontuais quanto ao nível global. Igualmente, o método deve suprir pontos subjetivos e habilidades cognitivas desconsideradas na avaliação quantitativa, dando panorama sobre o processo educativo.

De toda forma, as avaliações formais, sejam quantitativas, sejam qualitativas, são compostas por ferramentas que ajudam a compreender a dificuldade de aprendizagem dos seus filhos na escola por meio de provas, tarefas e trabalhos.

Portanto, os professores e coordenadores educacionais devem usar mecanismos claros de avaliação dos estudantes, para que os resultados possam ser comparados e compreendidos pelas partes, sem falha de comunicação.

Por que apostar nos métodos de avaliação na escola?

As avaliações quantitativas e qualitativas são um mecanismo fundamental para professores e alunos, uma vez que conseguem verificar a taxa de aprendizagem e revelar o panorama subjetivo do processo de ensino. Ao mesmo tempo, essa observação auxilia a equipe pedagógica a rever objetivos e a planejar novas metas dentro da instituição.

Além disso, investir em pesquisas que observem o rendimento dos alunos é uma recomendação legal. No Brasil, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, válida para escolas públicas e particulares, expressa no Artigo 24 a necessidade de registrar o desenvolvimento estudantil, devendo prevalecer o aspecto quantitativo sobre o qualitativo.

Por isso, métodos avaliativos devem ser empregados nas escolas nacionais, melhorando o rendimento dos estudantes e estimulando os professores a adequar suas estratégias de ensino em sala de aula.

Por que adotar uma avaliação baseada na junção dos dois métodos?

As técnicas qualitativa e quantitativa são bem distintas, o que se reflete nos resultados encontrados por esses dois tipos de avaliação educacional. Entretanto, assim como sugere a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, as escolas podem e devem investir na junção dos dois métodos, ampliando a capacidade de observação sobre o ensino e a aprendizagem.

Ao longo da história, as escolas desenvolveram uma série de mecanismos de avaliações. O método tradicional, por exemplo, aplica provas e exercícios para mensurar o nível de memorização dos alunos de forma classificatória — quantitativa, em escala de notas de zero a dez.

Além do modelo tradicional, outras técnicas tentam compreender o rendimento dos alunos com a valorização dos aspectos afetivos e individuais no processo de aprendizagem (proposta da chamada “escola nova”) e o incentivo à tomada de posição e ao pensamento crítico em sociedade — método histórico-crítico.

Independentemente dos métodos de avaliação escolhidos para medir a aprendizagem escolar, é essencial compreender a função diagnóstica que esses testes detêm. São observados o papel dos professores e dos alunos, permitindo superar desafios de forma concreta, com proposta de soluções eficazes ao quadro educacional avaliado.

Neste post, você entendeu sobre avaliação qualitativa e quantitativa, diferenciando os dois métodos, que servem para medir o desempenho escolar dos seus filhos. Por isso, é importante procurar escolas com métodos avaliativos que beneficiem o aprendizado dos estudantes, observando e aprimorando o processo de ensino.

Gostou do tema? Agora que você já sabe a importância das avaliações para o rendimento estudantil, aposte em escolas com métodos eficazes de ensino e aprendizagem. Conheça o Colégio Arnaldo, referência em Belo Horizonte, com unidades em Funcionários e Anchieta!

Powered by Rock Convert