Em um momento de crise mundial, é fundamental preservarmos as pessoas que amamos. Assim, é preciso pensar sobre como falar sobre coronavírus com as crianças, para que elas se protejam e toda a família fique segura. A conscientização de todos é essencial e também é uma forma de ensinar sobre cidadania e valores humanos aos mais jovens. É imprescindível que isso seja feito com carinho e de forma lúdica, com uma linguagem adaptada à cada idade.

A rotina das crianças foi alterada por conta da movimentação global de combate ao vírus e de prevenção da Covid-19. Assim, elas precisam compreender as razões dessa mudança. Isso é importante para que os pequenos se sintam amparados e tenham confiança nos adultos.

Neste post vamos ajudar você a entender como conversar com o seu filho sobre o coronavírus e tornar mais prazeroso o tempo que ele fica em casa. Confira!

Seja sincero e fale de uma maneira que a criança compreenda

A melhor maneira de garantir a prevenção e os cuidados das crianças é a partir da sinceridade. Por isso, falar sobre o motivo da mudança na rotina e explicar que se trata de um problema mundial é necessário. Porém, isso deve ser feito com muito cuidado, para não causar pânico.

Nesse sentido, a conversa deve ser honesta e clara, para que se entenda que não é uma situação sem saída, mas que existe a necessidade de cuidado. Enquanto a família busca informações ou conversa sobre o problema, os pequenos ouvem e ficam suscetíveis a ansiedade e ao estresse. Portanto, é fundamental que eles saibam do que se trata e que haja um filtro do que eles têm contato.

A linguagem usada deve ser adaptada à faixa etária. Observe as reações da criança e mude o tom caso perceba que está gerando nervosismo. É preciso ter muita empatia para passar tranquilidade nesse momento. Também não é legal trazer dados muito técnicos ou se ater a números — a explicação precisa ser mais geral e didática.

Passe tranquilidade e confiança

O momento é bastante delicado e novas informações chegam o tempo todo, o que gera apreensão nos adultos. Contudo, se esforce para passar tranquilidade e confiança para a criança. A recomendação é focar nos cuidados para a prevenção, como o hábito de lavar as mãos com sabão.

É preciso deixar claro que o vírus é uma coisa ruim e que pode fazer ainda mais mal para algumas pessoas, o grupo de risco. Por isso é tão importante proteger a família e as outras pessoas com as medidas preventivas. Seu filho aprenderá sobre a responsabilidade social e sobre como fazer a sua parte em um grupo.

Use elementos lúdicos

Se você não sabe como falar sobre coronavírus com as crianças, pode usar exemplos e recursos lúdicos, especialmente com aquelas que ainda são muito pequenas. Uma ideia é fazer a comparação do sistema imunológico com soldadinhos que defendem o corpo, explicando que em algumas pessoas os bonecos têm mais dificuldade para exercer a essa função.

Um experimento interessante é usar a pimenta-do-reino para simbolizar o vírus. Coloque a pimenta em um prato com água, peça para que a criança coloque o dedinho e veja que ele é transferido para a pele. Tenha ao lado um prato com água e detergente, e sugira que seu filho coloque o mesmo dedo nesse prato. Na sequência, diga a ele que volte com o dedo para o prato com pimenta, o que fará com que o tempero rapidamente se afaste do dedo por conta do sabão. É uma forma de explicar sobre a importância de lavar as mãos.

Responda às perguntas que surgirem

Assim como os adultos, as crianças têm muitas dúvidas sobre o assunto. Como ainda não se tem todas as respostas, converse francamente e não fale nenhuma mentira quando não souber o que dizer. Pesquise em fontes confiáveis e oficiais e busque solucionar os questionamentos que podem surgir.

Os pequenos têm uma boa capacidade de compreender a realidade, mas precisam de orientações para que permaneçam calmos. Assim, eles entendem que os próprios cuidados são fundamentais para ajudar outras pessoas e que desempenham um papel muito valioso para o mundo. Por essas razões, o diálogo precisa ser educativo e de proteção, o que fortalece o relacionamento familiar.

As crianças precisam do contato físico, além da presença dos parentes e das pessoas que as querem bem. Por isso, ficar longe do contato social pode ser muito difícil para elas, o que reforça a importância de que compreendam a situação e a responsabilidade que têm nesse cenário.

Faça atividades em casa

Outro desafio para a família que tem crianças em casa é mantê-las distraídas e calmas. Como elas têm muita energia e precisam se adaptar a uma rotina totalmente diferente, longe dos amiguinhos, da escola e das brincadeiras na rua, elas podem ficar mais estressadas.

Nesse sentido, é interessante que a família pense em atividades que podem ser feitas em casa, que também ajudam a estreitar as relações. Os adultos devem explicar que não se trata de um período de férias, já que alguns dos familiares podem continuar com os trabalhos e os estudos remotamente, mas de um recolhimento para cuidar da saúde das pessoas.

As brincadeiras em casa podem ser boas também para o emocional dos adultos, pois isso pode aliviar a tensão causada por esse período, além de ser uma necessidade para as crianças. Tente fazer coisas mais tranquilas como jogos e contação de histórias, mas, se possível, permita algumas atividades que gastem mais a energia.

Dessa forma, ao pensar em como falar sobre coronavírus com as crianças, é importante se cercar de boas informações. Por isso, leia as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, mantenha a calma e evite o pânico em casa, para que os pequenos compreendam que é um momento de colaboração e de união. Os adultos carregam consigo a responsabilidade de passar confiança e segurança aos filhos.

Você tem alguma sugestão de como conversar com as crianças na quarentena ou sugestões de atividades que podem ser feitas em casa? Deixe nos comentários!