como lidar com a ansiedade

Como ajudar seu filho a lidar com a ansiedade em tempos de quarentena?

O período de distanciamento social permanece no Brasil, sendo a melhor alternativa para reduzir o número de contaminados por Covid-19 e até evitar uma segunda onda da pandemia. Sabemos que essa é uma tarefa muito difícil, repleta de desafios e dúvidas. Uma das mais comuns é, afinal de contas, como lidar com a ansiedade dos filhos?

A dificuldade de permanecer na quarentena e contornar as questões que envolvem o comportamento das crianças se relaciona ao simples fato de nem mesmo os adultos terem alguma experiência sobre pandemias. Todos são aprendizes em busca de saídas para novos problemas.

As novidades aparecem em todos os âmbitos, sobretudo na economia e nas decisões políticas. Mas não seria diferente acerca da saúde mental, principalmente de jovens e crianças, os quais estão mais suscetíveis a assimilar o que está acontecendo com maior resistência.

Esse aspecto pode desencadear crises de ansiedade. Por isso, abaixo, vamos explicar os fatores do problema e como os familiares devem ajudar. Entre na discussão e tire suas dúvidas.

Entenda os impactos da quarentena nas crianças e jovens

Quase oito meses de reclusão visando ao controle da doença foi o suficiente para as famílias entrarem em novas rotinas. No entanto, apesar do esforço que muito pais estão fazendo a fim de equilibrar o home office com brincadeiras e aulas remotas dos filhos, é normal que fique a dúvida de como eles estão reagindo ao dia a dia.

Afinal, inúmeros aspectos da vida social das crianças foram impactados desde o início da pandemia do novo coronavírus. Entender um pouco a dimensão desse impacto pode ajudar os familiares a compreenderem o melhor modo de ajudar os jovens em simples atividades.

Transformação na relação de ensino-aprendizagem

Muitas escolas particulares precisaram se adaptar às ferramentas do ambiente digital e garantir que os processos de ensino não ficassem parados por muito tempo. A maioria dos educadores, a fim de corresponder às demandas da sua área, planejou novas metodologias, aprendeu a usar as salas de aula virtuais e a interagir com os alunos pelas câmeras.

As famílias também se reinventaram, criando rotinas planejadas para ajudar as crianças a respeito das aulas e tarefas, de modo que elas pudessem dar continuidade ao seu aprendizado escolar sem muito prejuízo.

Tudo isso é uma nova dinâmica de ensino-aprendizagem. A criança troca sua sala de aula por plataformas digitais, nas quais não consegue brincar junto aos colegas e precisa se esforçar para que as distrações não dividam sua atenção com a tela compartilhada do professor.

Restrições de convívio e vínculos afetivos

Mesmo sobre as crianças e os jovens naturalmente mais reclusos, as restrições de convívio provenientes das medidas de isolamento social trouxeram o desafio de repensar novos vínculos afetivos.

A escola é, antes de tudo, um lugar onde as crianças aprendem a conviver com as diferenças e a ouvir e saber se expressar mais naturalmente. A criação de vínculos afetivos é parte do processo de estar no colégio. Sem esse exercício diário de convivência e empatia, é normal que os pequenos sintam a diferença e tenham reações adversas.

Adiamento de eventos importantes

Empresas, organizações públicas e instituições de ensino precisaram repensar os compromissos para 2020. Eventos públicos, como festividades tradicionais, e privados, como festas de aniversário, tiveram que ser adiados em prol das medidas de isolamento social.

Nesse contexto, a ansiedade pode surgir das preocupações de quando é que tudo voltará ao normal. Para os jovens, uma das maiores dificuldades, sem dúvidas, é o adiamento das provas do Enem e dos demais vestibulares. A maioria dos exames será realizada no início de 2021.

Saiba como lidar com a ansiedade dos filhos

Quando o tédio é substituído por reações mais delicadas, a exemplo de choros repentinos, compulsão alimentar, irritabilidade e agressividade, é importante cogitar a possibilidade de a criança ou o jovem sofrer de ansiedade.

Se esses comportamentos estão aparecendo frequentemente dentro de casa, existem algumas ações extremamente positivas que os familiares podem colocar em prática. A seguir, veja nossas dicas de como lidar com a ansiedade dos filhos.

Mantenha-se disponível para ouvir e conversar

O diálogo sempre foi uma maneira saudável de fortalecer o relacionamento familiar. Durante a quarentena, mostrar disposição para conversar, ouvir e procurar saídas conjuntas também se tornou uma ótima alternativa de como lidar com a ansiedade.

Apesar das conexões promovidas pela internet, o convívio físico de crianças e jovens ainda se reduz ao núcleo familiar. Então, é muito importante que o estímulo à interação aconteça dentro de casa.

Ajude com informações confiáveis

Informações confiáveis sobre a diminuição do número de casos da doença, volta das aulas e as medidas de prevenção são formas de aumentar a confiança de crianças e jovens durante a pandemia. Em relação aos pequenos, entretanto, é importante ter sinceridade e calma na hora de passar as principais informações.

Procure ajuda especializada

Para ter mais segurança no trato com jovens e crianças durante o isolamento, você tem a opção de contatar psicólogos ou até saber a disponibilidade de pedagogos da escola, uma vez que eles lidam esse público diariamente. Nessas oportunidades, é válido tirar dúvidas e conhecer a experiência de quem é especialista no assunto.

Cuide de si para dar o exemplo

A rotina e os costumes familiares, em especial aos mais novos, tornam-se uma grande referência quando é necessário tomar alguma atitude. Por isso, também é importante dar atenção a si, ter um espaço para explorar as próprias alegrias e cuidar do corpo e da mente. Assim, eles terão um modelo saudável a seguir.

Esperamos que as dicas de como lidar com a ansiedade dos filhos na quarentena sejam úteis para você nos próximos dias. Ter o apoio, a compreensão e o carinho da família neste momento é o que crianças e jovens precisam. Além disso, não se esqueça de cuidar da sua saúde mental, pois isso torna o trato com o outro mais leve e sincero.

Uma boa parceira entre escola e família é um aspecto fundamental para superar momentos atípicos. Nós, do Colégio Arnaldo, nos engajamos diariamente para auxiliar nossos alunos da melhor maneira possível durante este período. Entre em contato conosco e saiba mais!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.