Imagine a seguinte situação: você está no mercado com o seu filho e o dia está corrido. O tempo é cronometrado. De repente, vocês passam pela seção de balas, ele fica eufórico e quer levar vários pacotes para casa. Por você não achar adequado, você nega. Ele, então, grita, esperneia e se joga no chão. Todos olham! E agora? Como lidar com as birras?

Situações como essas são corriqueiras na vida de todos os pais. Quando acontecem, a maioria acaba cedendo às vontades da criança apenas para dispensar a plateia e chegar logo em casa. Sabia que tomando essa decisão você acaba fazendo um mal para vocês dois?

Ao fazer o que a criança pede apenas para os gritos cessarem, você ensina, de certa forma, que está tudo bem ela reagir assim. Como proceder? Como esse é um assunto que causa muitas dúvidas nos pais, criamos um texto com algumas dicas úteis para esses momentos angustiantes. Confira! 

Entenda o que é normal na birra

É normal que, de vez em quando, os pequenos façam birras. Eles ainda estão crescendo e aprendendo a lidar com sentimentos difíceis, como o de frustração. Para a neurociência, a birra infantil atua na parte mais primitiva do cérebro, já que o sistema cognitivo ainda não está bem desenvolvido — por isso os choros e os gritos quando os desejos não são atendidos.

Não existe uma quantidade de birras “ideal”, mas se os pais tiverem a sensação de que elas são muito frequentes, é legal pedir ajuda profissional.

Deixe a vergonha de lado

A próxima dica de como lidar com as birras é uma das mais difíceis: não se importar com a vergonha de ter muita gente olhando para vocês. Entenda que passar por isso é um processo natural na vida de todo pai ou toda mãe que tenha a intenção de ensinar bons modos à criança. 

Tenha em mente que é melhor ter alguma dificuldade agora, educando, do que esperar problemas mais sérios acontecerem no futuro.

Não ceda às exigências

Têm dias que é um desafio não cair na tentação de, para se ver um pouco livre, concordar com as exigências do filho.

Naquele exemplo que colocamos na introdução, se depois da algazarra você aceitar levar todos os pacotes de bala que a criança pediu, você passará a ela a mensagem de que é só ela insistir um pouco mais e fazer escândalo que ela vai conseguir o que deseja.

Você reforça um comportamento inadequado, ou seja, quando ela pede com calma, você diz não, e quando pede chorando e gritando, você diz sim. Com o tempo, só fica mais difícil ensinar o que é certo e errado.

Seja consistente

Essa dica é um complemento da anterior. Não adianta muito você ser firme em alguns momentos, mas ceder em outros. Para o seu filho entender qual comportamento é inapropriado, deve haver consistência na educação.

Não mude as regras só porque vocês estão, por exemplo, na frente de uma visita ou em um ambiente diferente. Crianças são espertas e logo percebem que podem manejar a situação, de modo a ter o que desejam.

Não use a violência

Dar palmadas ou xingar, na visão de muitos especialistas, não tende a educar. Isso cria uma barreira na relação de pais e filhos, pois as crianças sentem medo no lugar de respeito. Esse tipo de atitude também pode contribuir para uma baixa autoestima dos pequenos, que se sentem rejeitados e magoados.

Além disso, agir assim costuma ser uma forma do próprio adulto extravasar a raiva que sente naquele instante por não conseguir controlar o comportamento do filho. 

Não ameace com castigos

A próxima orientação de como lidar com as birras é não fazer ameaças. Quando ameaçamos com castigos, fazemos uma espécie de chantagem emocional, o que não é apropriado na educação. No entanto, em algumas situações, é importante a criança perceber que os comportamentos dela podem ter consequências diferentes.

Se você já houver estipulado regras sobre o fato de que birras e comportamentos inadequados fazem com que ela fique sem o videogame, mantenha o acordo. Só é importante que essas determinações já existam, e não sejam inventadas em cima da hora.

Dê espaço para a criança

Muitas vezes as crianças fazem birra por não saberem lidar com o sentimento de frustração. Ao terem algo negado, elas podem sentir ansiedade, estresse e raiva. Quando isso acontece, hormônios como o cortisol e a adrenalina são ativados. Demora um pouco até que os pequenos se acalmem.

Da mesma forma como nós às vezes precisamos de um tempo e de espaço até nos recuperarmos de situações que nos irritam e deixam nossos nervos à flor da pele, as crianças também precisam disso para voltarem ao normal. 

Outro ponto importante é nunca proibir a criança de chorar ou dizer que ela está exagerando. Acolher essa emoção é até uma forma de ensinar a empatia e a ajudar a se tranquilizar.

Seja o exemplo

Como você reage quando algo sai totalmente do esperado? E quando você sente raiva de alguém? Muitos adultos também fazem birras, mas de um modo mais elaborado e adaptado. Gritar com os outros, bater a porta, desligar o telefone na cara, jogar objetos no chão e fazer chantagem emocional são comportamentos inadequados de muitos pais.

Assim, procure perceber suas reações nos momentos de frustração e tenha cuidado para não ser um espelho negativo. Nós devemos ter habilidades socioemocionais se quisermos que nossos filhos também as tenham.

Construa um diálogo

Precisamos ensinar as crianças a conversarem desde cedo com educação e calma, para fazerem pedidos ou expressarem chateações. Às vezes, no meio de uma birra é difícil conseguir isso, mas depois que todo o estresse passar, devemos chamar a criança para conversar.

Explique o motivo da sua negação. Diga a ela que você entende a chateação e que também se sente assim de vez em quando. Demonstre ser inadequada a reação ou a desobediência dela e o porquê. Depois, ensine o modo certo de agir.

Reconheça os comportamentos adequados

Também é importante que saibamos reconhecer os comportamentos adequados. Quando a criança agir de modo educado, por exemplo, não fazendo escândalo ou chorando mesmo tendo o pedido negado, demonstre consideração por isso. Diga que você percebeu o quanto ela cresceu e ter esse controle a torna mais madura. Demonstre sentir orgulho por isso. 

Educar nossas crianças é uma das tarefas mais desafiante na vida dos pais. É preciso ter autocontrole para lidar com a própria frustração quando algo parece não dar certo. No entanto, a partir dessas dicas de como lidar com as birras, já fica mais fácil saber como reagir, concorda?

Por falar em ter dúvidas na maternidade ou paternidade, que tal conferir nosso guia prático sobre a educação infantil para pais de primeira viagem?

Powered by Rock Convert