O significado de algumas palavras pode ser interpretado de diversas maneiras, dependendo do contexto no qual os termos são empregados. Um bom exemplo disso é a compreensão da importância do ensino lúdico na educação, algo que pode ser visto de muitas formas.

A palavra ‘’lúdico’’ não tem uma tradução específica e sequer existe em muitos idiomas. De modo geral, as atividades estão relacionadas ao conceito de jogo, brincadeira e diversão, por exemplo. Por conta disso, muitas vezes, a ludicidade é excluída do meio educacional, especialmente em metodologias mais engessadas.

Ao longo de nossa conversa, discutiremos a importância do ensino lúdico no ambiente escolar e as contribuições de sua participação no processo de aprendizagem de crianças pequenas e de adolescentes que se encontram no final de seu curso de educação básica. Boa leitura!

Afinal, o que é o lúdico na educação?

Como vimos no início de nossa conversa, o lúdico é um termo bastante abrangente, mas que, de modo geral, dialoga bastante com os conceitos de brincadeiras, jogos e interatividade. Por isso, o seu uso na educação pode causar polêmicas devido a interpretações errôneas de seu significado.

Para muitos educadores, o ensino deve seguir um viés um pouco mais ‘’sério’’. Nessa interpretação, o ambiente escolar não é palco para brincadeiras e as aulas devem ser conduzidas com seriedade e formalidade, de modo a ensinar responsabilidades e postura aos estudantes.

No entanto, como sabemos, a evasão escolar e a falta de interesse dos estudantes pelo ensino é um problema muito palpável e recorrente na educação brasileira. Infelizmente, muitos jovens abandonam os estudos todos os dias, seja por falta de condições de frequentar as aulas, seja pelo desinteresse na metodologia utilizada e a consequente inadequação a ela.

Tendo isso em mente, é fundamental saber utilizar abordagens que, de fato, interessem aos alunos desde o início de seus estudos. Por isso, a utilização do lúdico é extremamente recomendada.

Esse conceito aborda a necessidade de utilizar métodos diferentes para captar a atenção dos estudantes e deixá-los interagir melhor com a matéria proposta. O lúdico pode ser utilizado na educação infantil, local em que é mais comumente aplicado, e também no ensino fundamental e médio.

Mesclar brincadeiras, jogos, gincanas e outras formas de diversão com o conteúdo visto em classe é uma boa forma de engajar os estudantes e fazê-los assimilar o assunto de maneira mais direta. Assim, o aprendizado se torna dinâmico e o próprio estudante passa a conduzir, de certa forma, o conhecimento adquirido.

No entanto, é necessário salientar que o ensino lúdico não se resume a brincadeiras, e sim ao uso de metodologias diversas que estimulem a criatividade, o pensamento crítico e a imaginação dos estudantes de forma natural — exercitando e desenvolvendo tais características.

Qual é a importância do ensino lúdico nesse contexto?

No tópico anterior, conversamos brevemente sobre a importância da ludicidade no ambiente escolar, tanto para crianças quanto para adolescentes. No entanto, há outras vantagens sobre o seu uso, que vão além de garantir o engajamento dos estudantes e reduzir os níveis de evasão no ensino regular.

A seguir, veremos alguns dos benefícios mais comuns desse tipo de educação:

  • desenvolvimento do potencial criativo;
  • estímulo às habilidades psicomotoras;
  • melhoria das habilidades cognitivas;
  • desenvolvimento da capacidade de linguagem;
  • melhora da expressão corporal;
  • maior controle emocional;
  • desenvolvimento do raciocínio lógico;
  • melhora da noção de espaço;
  • incentivo ao trabalho em equipe.

Esse tipo de educação contribui para melhoras em praticamente todas as disciplinas dadas no ensino regular. Por isso, elas podem ser utilizadas como complemento ao aprendizado comum, sem necessariamente excluí-lo.

O uso durante a infância, por exemplo, é fundamental para integrar a criança não só com a escola, mas com seus colegas e com o novo ambiente que a circunda. Ao longo do tempo, o uso passa a ser no sentido de assimilação dos conteúdos e potencialização do aprendizado.

Para os adolescentes, o lúdico pode ser uma boa oportunidade de promover o engajamento e deixá-los mais interessados. Afinal, o engessamento no ensino também atinge esses indivíduos, e o uso de metodologias diversificadas é sempre recomendado para cativar os alunos.

Como o ensino lúdico influencia o desenvolvimento de habilidades?

Pode não parecer, mas as atividades lúdicas são fundamentais no desenvolvimento integral das crianças. Elas também representam uma oportunidade para os estudantes se comunicarem e se expressarem de forma livre e espontânea. Assim, é possível fortalecer habilidades sociais e de concentração e gerar maior interatividade e autonomia no convívio em sala de aula com os colegas.

Como a ludicidade exerce uma influência significativa na inteligência emocional, na criatividade e no raciocínio intelectual, a metodologia também impacta a construção inicial do pensamento crítico nos pequenos. Para isso, é essencial que o educador guie adequadamente os alunos no processo de aprendizagem e saiba explorar ao máximo o potencial das brincadeiras.

Dessa forma, o desenvolvimento das habilidades acontecerá de maneira mais natural e participativa, fazendo com que a prática pedagógica alcance seus objetivos. Atualmente, é bastante simples realizar atividades lúdicas com as crianças, sendo que muitas das opções estão disponíveis de maneira gratuita na internet.

Como utilizar a ludicidade no âmbito educacional?

O ensino lúdico pode ser dividido em algumas áreas, cada uma delas responsável pelo desenvolvimento de certas habilidades. Embora possam ser conhecidas por diferentes termos, as principais divisões são:

  • área tecnológica: utilização de jogos e outras ferramentas inovadoras para o ensino;
  • área da linguagem: utilização de trava-línguas e músicas, por exemplo, para o desenvolvimento da dicção e da eloquência na comunicação;
  • área da imaginação: utilização de atividades que desenvolvam a imaginação e o faz de conta, habilidades essenciais para uma boa adequação não só na escola, mas também no mercado de trabalho;
  • área da movimentação: utilização de brincadeiras que trabalhem as habilidades cognitivas e a coordenação motora simultaneamente, além de incentivar o aprendizado de conceitos como o trabalho em equipe.

Diante disso, vemos que há diversas formas de estimular os alunos com o ensino lúdico. Mas, afinal, quais são as melhores maneiras de colocar tais atividades em prática?

O ideal é sempre pensar em atividades que incluam todos os estudantes, fazendo com que participem, mesmo sendo em funções diferentes. A seguir, veremos algumas formas bem práticas:

  • organizar apresentações de peças, sejam elas musicais ou não;
  • realizar teatros de fantoche;
  • estimular a prática de redações periódicas;
  • fazer feiras de ciências;
  • trabalhar com fotografias;
  • utilizar trava-línguas;
  • usar jogos eletrônicos em sala de aula;
  • utilizar jogos como o jogo da memória.

A partir do uso periódico dessas estratégias, é possível estimular uma série de habilidades diferentes, fazendo com que o conhecimento seja muito melhor assimilado e possa realmente ser fixado.

Como desenvolver a educação lúdica em casa?

O primeiro passo a fim de definir as atividades a serem realizadas em casa é pensar, justamente, nos objetivos da brincadeira e se eles contribuem para o desenvolvimento das habilidades nos seus filhos. Assim, será mais simples direcionar a prática e obter o desempenho que você deseja estimular nos pequenos.

Tenha em mente que quanto mais inovadora a atividade lúdica, maiores serão as chances do seu filho ficar interessado e motivado para experimentá-la. Sendo assim, será possível desenvolver os aspectos psicomotores, cognitivos e afetivo-sociais, fatores essenciais acerca da construção do conhecimento infantil.

A seguir, listaremos algumas simples práticas que podem ser feitas em casa com as crianças e os jovens para estimular o aprendizado de maneira lúdica.

Adivinha o sentido

A brincadeira do adivinha o sentido é bastante divertida e ensina mais sobre os sentidos, na prática. Comece separando diferentes objetos e materiais sem revelar o que são às crianças. Elas devem ser desafiadas a adivinharem por meio dos sentidos, utilizando o toque ou o olfato, por exemplo.

Oficinas

As oficinas lúdicas unem jogos, brincadeiras e criatividade em uma só atividade. Elas permitem que os alunos, desde o ensino infantil, interajam e aprendam com os adultos. Isso fortalece as trocas afetivas e contribui para o desenvolvimento intelectual. Além disso, as oficinas mobilizam diversos assuntos em pouco tempo, envolvendo uma série de práticas estimulantes e atrativas às crianças.

Quebra-cabeça

Montar um quebra-cabeça é um excelente exercício lógico e imagético, sendo que existem variações do jogo que misturam diferentes propostas para serem montados. Essa prática estimula a paciência, a lógica e os sentidos visuais e intelectuais, sobretudo dos alunos mais novos. Ainda, é possível treinar a capacidade de concentração e melhorar a noção de espaço, permitindo o desenvolvimento das habilidades psicomotoras e neurológicas.

Massinha de modelar

As massinhas também são ótimas para trabalhar a capacidade criativa nos alunos. Os pais podem incluir as massinhas em aulas de diferentes disciplinas, e não somente na de Artes. Como o material é naturalmente atrativo para os pequenos, será bastante simples criar brincadeiras que façam com que o seu filho aprenda e se envolva na prática lúdica ao mesmo tempo.

Jogos de locomoção

Os jogos de locomoção podem ser feitos em espaços externos para promover o desenvolvimento de movimentos, equilíbrio, resistência e flexibilidade. Com isso, as crianças exploram novos ambientes e conhecem o seu próprio corpo e suas limitações. Eles ajudam na melhora cognitiva, psicomotora, social e afetiva dos alunos, sendo indicado desde a infância até a adolescência.

Como o Colégio Arnaldo trabalha o lúdico com seus alunos?

Tenha em mente que é fundamental considerar o aspecto da ludicidade antes de escolher a instituição de ensino para o seu filho. No Colégio Arnaldo temos como diferencial a oferta de um tratamento personalizado. Na nossa escola, cada criança é vista em sua singularidade e desafiada a desenvolver capacidades e habilidades essenciais para a convivência coletiva.

Nossa metodologia de ensino é baseada em dois eixos de experiências: o brincar e a interação. Assim, a prática educativa se articula de diferentes maneiras com o universo lúdico da criança e com seus interesses e possibilidades. Portanto, promovemos a aprendizagem mediada pelas brincadeiras e interações como ações intencionais para o desenvolvimento cognitivo e socioemocional dos alunos.

Como vimos, a importância do ensino lúdico em sala de aula é algo que deve ser discutido e aprimorado. Ignorar esse conceito pode prejudicar o aprendizado de crianças e impedir o engajamento dos pequenos e, até mesmo, de adolescentes um pouco mais velhos. Por isso, vale muito a pena investir em metodologias diferentes para a transmissão do conhecimento!

Gostou do nosso conteúdo? Quer conhecer mais de perto as práticas inovadoras do Colégio Arnaldo? Então, entre em contato com a nossa equipe educativa agora mesmo!

Powered by Rock Convert