estudar sozinho

7 dicas para você incentivar o seu filho a estudar sozinho

O desenvolvimento da autonomia desde cedo é um cuidado que se reflete em vários momentos na vida de um filho. Um bom exemplo é quando ele desenvolve a capacidade de estudar sozinho, e a necessidade de ajuda da família passa a não ser regra. É um hábito recheado de benefícios que a criança leva para o resto da vida.

Além da maior independência da família, estudar sozinho ajuda a aumentar o foco em uma só atividade, além de fortalecer o senso de responsabilidade e organização. A boa notícia é que atitudes simples podem ajudar as famílias nessa transição (de estudar com a ajuda de um responsável para a prática de estudar sozinho).

Tem interesse nesse assunto? Logo abaixo, ajudaremos você com ótimas dicas para incentivar o seu filho a estudar sozinho. Confira!

Criar um espaço de estudo

O grande desafio de fazer seu filho estudar sozinho é, na verdade, fazer com que o desempenho dele, no colégio, não caia. Afinal, é importante ter a certeza de que nenhuma dificuldade de aprendizagem deixará de ser identificada.

De todo modo, vários fatores, que vão além do ato de estudar em si, influenciam no incentivo ao estudo de maneira solitária, como o fato de ter um espaço dedicado a isso.

Um espaço para estudo, que pode ser simplesmente um canto do quarto, permite que a criança ou jovem crie um ritual para estudar. Em outras palavras, a sequência de: separar um copo d’água, sentar, consultar a agenda, abrir os livros, cadernos, por exemplo, é um ritual que vai preparando a mente para se manter concentrada nas próximas horas.

A repetição dessa sequência ajuda seus filhos a criarem o hábito de estudar. O espaço também é um importante fator desse ritual, pois tudo que eles precisarão, durante os estudos, estará por perto, como caneta, caderno, lápis etc.

É importante separar um lugar bem iluminado (ambientes escuros podem estimular o sono), arejado e que não esteja suscetível a muitos ruídos (como os sons da cozinha, da rua, da televisão etc.).

Há quem goste de estudar na cama ou sofá, por exemplo, embora essas opções aumentem o risco de fazer o estudante pegar no sono. Por isso, o espaço de estudo não deve ser nem relaxante, nem sério demais. Uma cadeira confortável e uma mesa são itens básicos.

Também vale a pena utilizar as cores preferidas da criança ou do jovem e mesclar os materiais didáticos com objetos pessoais. Dê ao espaço a personalidade dos seus filhos para que eles se sintam à vontade para estudar.

Montar um cronograma de estudo

Um cronograma ou plano é uma maneira de criar uma rotina de estudos para conseguir separar os assuntos de acordo com alguns critérios e escolher os melhores horários para manter o foco. O grande objetivo do cronograma é fazer dos estudos uma prática cada vez mais natural durante determinado período.

É fácil fazer um! Dependendo da idade, seus filhos podem precisar muito da sua ajuda. Aqui vão algumas dicas:

  • escolha o melhor horário para estudar: considere outros compromissos do dia, como ir à escola e ajudar em atividades domésticas;
  • defina o que estudar em cada dia da semana: considere as aulas que seus filhos têm nos dias letivos;
  • veja a necessidade de estudar no fim de semana: vale a pena ter uma regra para estudar, pelo menos um dia, no caso de provas ou outras avaliações escolares.

Definir recompensas pelo progresso

A recompensa é uma ajuda vital para a manutenção de todo esforço. Quanto maior ele for, maior deve ser a recompensa. Seguindo essa lógica, você pode ajudar seus filhos a manter a vontade de estudar sempre viva.

Por exemplo, respeitar os horários de estudos durante a semana pode ser uma condição para que os filhos façam um passeio à sorveteria ou aproveitem outros hobbies. Acompanhando o desempenho dos filhos, você pode entender que a recuperação de uma nota baixa também pode ser precedida de uma ótima recompensa!

Fazer resumos, fichamentos e mapas mentais

As revisões são parte fundamental de uma boa rotina de estudos. É dessa forma que se consegue manter fórmulas, conceitos e expressões sempre vivas na mente. Para que uma revisão seja realmente efetiva, é importante que ela seja feita a partir de materiais próprios: resumos, fichamentos e mapas mentais.

Esses materiais têm o objetivo de condensar textos e reflexões em pequenos blocos e palavras-chave importantes para a compreensão dos assuntos. É indispensável que os próprios estudantes criem seus materiais de revisão, principalmente os mapas mentais.

O mapa mental é o conjunto interligado de breves conceitos, frases e palavras-chave sobre o mesmo assunto. Um mapa pode ser colorido, usar setas e outras sinalizações que chamem atenção. As associações correspondem à maneira como cada estudante entendeu determinado assunto, por isso é importante que cada um faça o seu.

Utilizar o material do colégio

Os materiais do colégio seguem as mesmas metodologias pelas quais os alunos aprendem os assuntos em sala de aula. Por isso, é muito importante estimular seu uso na hora de estudar sozinho.

Embora outras ferramentas sejam muito úteis nesse momento, como videoaulas, sites e blogs, seguir o raciocínio dos livros do colégio mantém o aprendizado do estudante alinhado ao dos colegas e dentro da proposta dos educadores.

Eliminar distrações

Mesmo com todos os cuidados que vimos até aqui, as distrações ainda podem ser um grande problema para os seus filhos.

Para que eles consigam dedicar 100% da concentração, ajude-os a tomarem outros cuidados antes de começar os estudos, como desligar o celular ou colocá-lo em “mudo”, não abrir as redes sociais em abas paralelas enquanto usa os equipamentos digitais e evitar estudar em horários com muita movimentação pela casa.

Veja como as dicas para incentivar o filho a estudar sozinho podem ser colocadas em prática na sua casa. O suporte de um colégio que forneça material didático de qualidade faz toda a diferença no momento dos estudos. Por isso, também é importante contar com o auxílio de um colégio que pense a educação das crianças de maneira integral.

Gostou das dicas? Estudar sozinho é realmente um desafio, principalmente quando os jovens precisam se preparar para o vestibular. Então, veja agora como os pais podem ajudar seus filhos nos estudos para o ENEM.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.