formação de hábitos

Como se dá a formação de hábitos em crianças? Entenda melhor!

A infância é o melhor momento para investir na formação de hábitos saudáveis, uma vez que a criança estimulada desde pequena com leitura, organização, disciplina, prática de exercícios físicos, higiene, entre outras atividades ou condutas, tem maiores chances de adotá-las e repeti-las, com prazer, ao longo da vida.

Durante esse processo, a colaboração da equipe escolar e, principalmente, da família é de fundamental importância. É preciso, logo de início, compreender que os hábitos, antes de se tornarem ações praticamente “automáticas”, são escolhas. Formá-los requer esforço, dedicação e planejamento. Por isso, para os pequenos, o incentivo e o exemplo dos adultos são determinantes.

Os benefícios de tornar as crianças mais conscientes de seu próprio comportamento e de assumirem atitudes positivas são inúmeros e impactam o seu desenvolvimento como um todo (cognitivo, físico, social e emocional).

Que tal entender melhor o que são hábitos, quais os estágios de seu ciclo de formação e como ajudar os seus filhos a criá-los? Veja tudo isso e muito mais a seguir!

O que são hábitos?

Você deve estar se perguntando: mas, afinal, o que são hábitos? Bom, eles nada mais são do que padrões inconscientes e espontâneos de pensamento e conduta. Não surgem da noite para o dia, ou seja, eles foram aprendidos de modo prévio e reforçados.

Assim, pode-se dizer que um hábito é uma prática que, de tão habitual, se torna um costume, ou melhor, uma regra de comportamento. Se fizermos um exercício de autopercepção, reparamos que a maioria de nossas ações cotidianas são repetidas de maneira “automática”.

Os hábitos praticamente conformam a nossa rotina e, mais do que isso, modelam a nossa identidade. Tal modo de funcionamento cerebral tem uma grande importância para nós, humanos. Eles nos possibilitam menor gasto de energia e, consequentemente, maior eficiência na execução de tarefas específicas.

A partir do momento que um movimento ou pensamento se torna automatizado, conseguimos desempenhar outros mais complexos — o que ajuda no processo de aprendizagem e desenvolvimento pessoal.

Como se dá a formação de hábitos na infância?

Charles Duhigg, em seu famoso livro “O Poder do Hábito”, explica que a formação de hábitos se dá mediante o cumprimento de um ciclo composto de três estágios, quais sejam:

  1. gatilho ou deixa: o que desperta a nossa motivação;
  2. rotina: ação praticada repetidamente em busca de uma recompensa;
  3. recompensa: uma espécie de gratificação que, aos poucos, faz com que o cérebro associe a ação com o resultado esperado.

Nota-se, portanto, que há um componente determinante para que o ciclo aconteça de modo efetivo, o desejo. Isso se deve ao fato de que, a partir do momento que compreendemos que os hábitos nos trazem recompensas, o nosso cérebro começa a desejar determinado comportamento e repeti-lo sempre — como se fosse uma “fórmula de sucesso”.

Além disso, podemos observar que o movimento de incorporar um hábito novo exige dedicação, esforço, paciência e planejamento. O estágio da rotina é bastante importante porque é justamente nele que o hábito se consolida. A partir disso, podemos perceber que a formação de hábitos em crianças demanda uma participação atenta e ativa dos adultos com os quais convivem (pais, professores etc.)

Contudo, vale dizer que o estabelecimento de uma rotina de hábitos para os pequenos não significa sobrecarregá-los com um cronograma intenso de atividades. A disciplina é igualmente fundamental, desde que construída por meio de um diálogo afetuoso e respeitoso, partindo sempre da real compreensão das motivações e dos desejos deles.

Quais os benefícios para as crianças?

As crianças necessitam de uma rotina de bons hábitos para que aprendam, cresçam e se desenvolvam de modo pleno e equilibrado. A incorporação de um hábito saudável na infância é algo que elas levam para toda a vida. Por isso, quanto antes forem criados, melhor!

As vantagens são inúmeras e atingem múltiplos âmbitos da existência — físico, cognitivo, emocional e social. Em outras palavras, um cotidiano permeado de hábitos saudáveis permite o desenvolvimento global dos pequenos. Destacamos, abaixo, os principais benefícios:

  • autonomia;
  • autogestão;
  • cuidado consigo próprio;
  • senso de responsabilidade e empatia;
  • saúde integral;
  • disciplina;
  • atitudes conscientes;
  • concentração;
  • organização;
  • comunicação (escuta ativa e capacidade de verbalizar).

De que maneira ajudar os seus filhos a desenvolver bons hábitos?

Conforme já dito, a colaboração dos adultos, sobretudo dos pais, é decisiva no que diz respeito à formação de hábitos saudáveis em crianças. Se você está em dúvida sobre como ajudar o seu filho nesse processo, preste atenção nas dicas que separamos a seguir!

Autoconhecimento

Tudo começa no autoconhecimento. Isso significa que, se os pequenos não se tornarem conscientes de seus pensamentos, sentimentos e comportamentos, dificilmente haverá mudanças.

Um ponto importante é que, em geral, associamos autoconhecimento com um processo solitário, o que não é verdade. Ao contrário, as crianças precisam que os adultos os acompanhem nessa jornada, orientando a sua atenção e percepção de si mesmas.

Definição de objetivos

A constituição de um novo hábito requer planejamento e organização, ou seja, estabelecimento de objetivos a serem alcançados. Nesse sentido, você pode auxiliar o seu filho a compreender quais são as suas motivações e os seus desejos (os gatilhos), de forma que consigam descobrir os propósitos que fazem sentido para eles próprios.

Regularidade

Rotina é a palavra-chave! Hábitos são disposições duradouras se formados a partir de uma repetição frequente de determinado comportamento. Como visto, no início é necessário bastante esforço e dedicação, mas depois a regularidade se torna automática e menos penosa.

Recompensas

O cérebro busca recompensas. Dito de outra maneira, ninguém consegue criar uma rotina consistente se não receber algum benefício em troca. No entanto, cuidado com gratificações que fogem ao intuito do comportamento que se pretende criar, elas devem surgir como consequências diretas do próprio hábito.

Por exemplo: se você quer que seu filho adquira o costume de ler, não faz sentido criar uma recompensa do tipo “a cada 15 minutos de leitura, você pode passar 1 hora no videogame”, não é verdade?

Exemplos

Essa é a dica de ouro. Crianças tendem a repetir o comportamento dos adultos com os quais convivem. Isso porque elas aprendem muito mais por meio daquilo que veem do que por aquilo que escutam. Por isso, não adianta querer que seu filho incorpore um hábito que você mesmo não pratica. Seja um exemplo, ou melhor, uma inspiração para ele!

Os hábitos, sejam eles bons ou ruins, conformam nossa personalidade e, por consequência, nossas atitudes diárias perante a vida. Eles são respostas automáticas, mas surgem por meio de escolhas.

Crianças que são estimuladas, desde pequenas, a praticarem ações e cultivarem sentimentos e pensamentos positivos têm maiores chances de se tornarem adultos mais felizes, realizados e saudáveis. Importa frisar, novamente, que família e escolas têm um papel essencial nesse processo!

Foi útil para você entender melhor sobre a formação de hábitos infantis? Então, ajude este conteúdo a chegar em mais pessoas: compartilhe-o em suas redes sociais!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

2 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.