Você já parou para refletir sobre o que é um cidadão? Mesmo que todos estejamos inseridos em uma sociedade, uma coisa é certa: nem todos prezam pelo respeito e pela boa convivência. Por isso, é imprescindível que a educação se direcione não só para as disciplinas do currículo comum, mas também para a importância dos valores morais.

Uma escola que se preocupa com a construção de bons valores e que esteja comprometida com a formação de cidadãos empáticos, conscientes, íntegros e justos é a melhor escolha para as crianças e adolescentes. Afinal, uma educação humanizada é responsabilidade de todos e, por esse motivo, pais e colégio podem ajudar a formar uma geração muito mais consciente e ética ao trabalharem em conjunto.

A seguir, nós compreenderemos um pouco mais sobre o que é moral, qual o papel da escola, a importância e os benefícios de uma boa formação nesse sentido.

Boa leitura!

O que são, afinal, os valores morais?

A ética é uma área de estudo que busca entender o comportamento da sociedade. Conta com pesquisadores de várias áreas, principalmente da filosofia, que pensam sobre as formas de agir das pessoas de um grupo social, as diferenças e culturas e, com isso, as melhores formas de se garantir a boa convivência.

Nesse sentido, a ética é um campo mais amplo, que compreende os diferentes tipos de moral. Esta, por sua vez, é mais restrita, englobando as “regras” que os grupos ou indivíduos determinam e que permitem que as pessoas possam viver em harmonia. Assim, o conceito de moral compreende as características essenciais que constituem os cidadãos.

Dessa maneira, os valores morais são as práticas que uma pessoa ou grupo preza para definir os princípios que regem a sua vida. Por essa razão, tanto moral quanto ética fazem parte de nosso dia a dia, estando relacionadas com as escolhas que movem as ações humanas no cotidiano independentemente de qual seja a nossa posição dentro de uma sociedade.

Para muitos, a ética é uma percepção do que é certo ou errado. Mas, como foi dito, isso depende das características culturais de cada grupo. Logo, é algo pode variar muito de acordo com os costumes de determinado povo ou até mesmo com a perspectiva de cada indivíduo, o qual se baseia em suas vivências e experiências pessoais no contexto em que está inserido. Por isso, é importante que haja respeito às diferentes culturas e valores.

No entanto, alguns princípios que regem a ética são considerados ‘’universais’’. Isso porque se acredita que eles são essenciais para a qualidade e dignidade da vida humana. Esses princípios fazem parte da Declaração Universal dos Direitos Humanos, defendidos por organizações internacionais, como a ONU (Organização das Nações Unidas). Eles determinam quais são os direitos de todos os seres humanos, independentemente de qualquer distinção.

Assim, com a Declaração Universal dos Direitos Humanos servindo de base, o desenvolvimento dos valores morais desde os primeiros anos de vida é importante para garantir o compromisso dos cidadãos com a preservação da vida e da dignidade de todas as pessoas. Esses valores nos dão uma ideia do que pode, ou não, ser considerado como ético dentro das relações entre os seres humanos.

Os valores morais são, apesar de um fator universal, parte de diversas passagens da Bíblia. Os ensinamentos e preceitos cristãos, presentes também em outras religiões (mesmo as que não se guiam por esse livro), são fortemente baseados nesses valores. Os principais deles são:

  • o amor;
  • o respeito;
  • o perdão;
  • generosidade;
  • o altruísmo;
  • a justiça;
  • a honestidade;
  • a paciência;
  • a humildade.

Há, no entanto, muitos outros que, como vemos, são mensagens de igualdade, respeito e amor entre os povos e as pessoas diferentes. Eles podem ser adotados por pessoas das mais diversas crenças e fazem parte também do dia a dia de indivíduos que não seguem uma religião específica.

Qual é a importância dos valores morais para a formação de uma sociedade igualitária?

Como foi visto, os valores morais são parte de passagens de documentos como a Declaração dos Direitos Humanos e das regras de diversas organizações e instituições ao redor do globo. Eles não são, portanto, algo intrínseco apenas das religiões, mas da natureza de uma sociedade justa e igualitária.

Para conviver em sociedade, um indivíduo precisa perceber que nem todas as pessoas pensarão como ele ou se adequarão ao seu estilo de vida. Compreender essa diversidade (que pode ser caracterizada em crenças religiosas, políticas ou orientação sexual) e respeitá-la é fundamental para termos um mundo melhor.

Os valores morais são uma síntese desse tipo de comportamento: o de perceber as diferenças entre pessoas, suas vidas e suas culturas e respeitá-las. Desse modo, é possível estender a mão aos nossos irmãos sempre que necessário sem os discriminar por sua cor, crença ou suas particularidades e escolhas pessoais. É, em outras palavras, o famoso ‘’fazer o bem sem olhar a quem’’, praticando a verdadeira fraternidade.

Nesse sentido, não basta não fazer mal ao outro, mas é importante também se esforçar para que a nossa sociedade seja mais justa e moral. A inclusão social, por exemplo, pode e deve ser praticada desde a infância. Quando as crianças convivem com pessoas diferentes, elas têm a oportunidade de aprender a empatia e o respeito e, com isso, podem se tornar ativas na inclusão.

Por esse motivo, amar ao próximo (um dos principais ensinamentos contidos na Bíblia) é um dos pilares mais importantes de uma sociedade sem tantas desigualdades e sofrimento. Afinal, ao encararmos todos os seres humanos como nossos irmãos e respeitá-los como nossos iguais, é muito mais fácil gerar inclusão e diminuir os conflitos de nossa sociedade.

Qual é o papel da escola no processo de formação de bons cidadãos?

A educação moral das pessoas acontece desde o seu nascimento. Assim, quando a família ensina a criança a agradecer quando recebe um presente, a esperar a vez de falar, a pedir desculpas quando machuca alguém ou a ter um comportamento honesto, também ensina os valores morais que permitem a vida em sociedade.

Nesse sentido, ao ingressar na escola, os jovens têm acesso a uma experiência social que ajuda a desenvolver mais profundamente esse convívio amistoso. Com isso, aquilo que foi aprendido em casa desde o início da vida é reforçado e ganha novos sentidos. As experiências vividas com os colegas e com os educadores mostram a importância de se colocar em prática os valores morais.

Assim, a escola tem um papel muito importante na formação humana de crianças e adolescentes. Os pequenos passam, durante vários anos, boa parte de seus dias no colégio. Lá, aprendem a se relacionar com pessoas completamente diferentes daquelas que fazem parte do âmbito familiar e se deparam — com frequência, pela primeira vez — com realidades diversas.

Esse tipo de exercício de observação da diversidade deve ser incentivado pelo colégio e trabalhado da melhor maneira possível. O aluno deve ser capaz de identificar as diferenças e, ao mesmo tempo, lidar com elas com naturalidade. Ou seja: ele precisa reconhecer que a diversidade existe e agir com respeito em relação a ela em vez de vê-la com olhos preconceituosos.

Isso deixa clara a importância dos valores morais para a construção de uma sociedade em que todos possam conviver em paz, como irmãos. Trata-se de um trabalho que deve ser reforçado pela escola todos os dias.

Por conta disso, é sempre recomendado que o colégio escolhido esteja alinhado aos valores da família e tenha uma educação voltada não só para o ensino das disciplinas, mas também para uma formação humana e cidadã.

A família, por sua vez, tem papel essencial na construção dessa nova geração de cidadãos. A participação de todos os membros do núcleo familiar é crucial para reforçar o que é aprendido na escola. Essa é, portanto, uma via de mão dupla, em que sempre deve haver espaço para o diálogo e o aprendizado mútuo, que será construído ao longo dos anos escolares.

Portanto, ser presente nas reuniões e também da vida escolar dos estudantes é algo fundamental para os pais. Enquanto isso, a escola também precisa se aproximar da família do aluno com o objetivo de conhecer quais são os valores importantes para ela. Isso é possível a partir de um bom diálogo com os responsáveis pelo estudante e evita que a instituição aja na contramão do que a família acredita.

Como os professores podem ajudar a desenvolver os valores morais?

Como vimos, é preciso que haja uma rede em prol do desenvolvimento dos valores morais nos jovens, o que inclui a escola, a família e a sociedade. Assim, os professores devem compartilhar dos ideais do colégio e tornarem isso uma prática em suas aulas, afinal, eles é que estarão em contato direto com os alunos.

O exemplo é uma forma muito importante de se ensinar. Nesse sentido, se o docente deseja estimular um comportamento comprometido com os valores da escola, ele precisa assumir uma postura que seja condizente com isso. Os jovens observam os adultos o tempo todo e analisam a coerência entre o que dizem e a forma como agem, portanto, é preciso sempre ter atenção às próprias práticas.

Além disso, existem estratégias pedagógicas para desenvolver a consciência moral na escola, que podem ser realizadas em todas as idades. Veja algumas sugestões.

Estabeleça as regras para as aulas

Uma atividade muito interessante para o início do ano é o estabelecimento de regras para as aulas. Para isso, o professor deve explicar que ter normas é importante para que haja respeito em sala e para que todos consigam aprender, que é o objetivo da escola. Dessa forma, a lista deve ser feita com a participação dos estudantes.

Deve haver uma discussão das regras, para que se entenda a importância de cada uma delas. Assim, a partir daquilo que a turma discutir, é criado um quadro de combinados que pode ser retomado sempre que for necessário. Com isso, os alunos também assumem a responsabilidade de cumprir o que foi acordado, afinal, eles fizeram parte dessa construção.

Crie projetos que gerem valor para o contexto em que a escola está inserida

É importante que os jovens se percebam como parte de um grupo, o que implica responsabilidades e um papel protagonista. Para incentivar essa inserção social, bem como a solidariedade e a empatia, tanto o professor quanto a escola precisam se envolver em projetos que façam a diferença no contexto em que a instituição está inserida.

Dessa maneira, construir hortas comunitárias, fazer campanhas para arrecadação de alimentos para quem precisa e promover intercâmbios culturais são algumas das propostas que podem ser adotadas.

Sugira rodas de conversa

O diálogo é uma ótima forma de aprender e isso deve fazer parte da educação. As rodas de conversa sobre temas importantes são muito boas para incentivar o pensamento crítico e a compreensão prática dos valores. Dessa forma, os estudantes podem conhecer diferentes visões sobre o mesmo tema e aprender com os colegas.

Nesse sentido, a atividade pode ser feita em qualquer idade, inclusive abordando assuntos complexos. O importante é adaptar os materiais usados para a sensibilização e a abordagem que será feita.

Faça a atividade da teia

A atividade da teia é muito boa para ser feita com crianças, principalmente nas primeiras aulas do ano, para a apresentação dos alunos. Ela é bem simples, precisa apenas de um barbante. É importante para os estudantes perceberem como estão todos conectados, assim como a sociedade, e o que cada um faz interfere em todos.

Com a turma toda sentada em roda, uma pessoa pega um rolo de barbante, se apresenta e fala algo sobre si — o que será dito fica a critério do professor, mas pode ser o que gosta de fazer no tempo livre, qual profissão quer ter quando crescer etc. Depois disso, deve jogar o barbante para um colega, de preferência que esteja na sua frente, sem soltar a ponta do fio.

A ideia é que cada um segure uma parte do barbante e ele se entrelace, formando uma teia semelhante à da aranha. Ao final, o docente pode perguntar qual imagem as crianças veem e também conversar sobre a conexão criada.

O que os pais devem observar no colégio para a formação moral de seus filhos?

Antes de escolher o colégio ideal para matricular os filhos, é importante que os pais observem como a instituição pretende educar as crianças e adolescentes. Assim como dissemos, os valores familiares são reforçados e ampliados pela escola e, quando os pais se envolvem no ensino dos seus filhos, podem ter a certeza de que aquilo que a família acredita também é importante para a escola.

No momento de fazer a escolha certa, é necessário compreender que a educação não acontece apenas nas aulas, mas em toda a escola por meio do exemplo, conforme mencionado anteriormente. Veja como a instituição cuida do seu espaço, como são as relações entre os funcionários e com os alunos. Todos esses aspectos mostram quais são os valores que o colégio deseja inspirar em seus estudantes.

Se a escola pretende, por exemplo, incentivar nos estudantes a organização, além de falar sobre isso, é importante que ela também seja organizada. Se o objetivo é estimular o respeito, deve abordar o assunto durante as aulas, mas também é fundamental que as relações escolares sejam respeitosas. Com isso, os jovens podem ter uma formação moral teórica e prática, o que os habitua a um comportamento mais cidadão.

Nesse sentido, os pais precisam conhecer o colégio e seu funcionamento para que possam observar como os valores morais são abordados naquela instituição. Com isso, se espera também que ela mantenha as portas abertas à família e tenha clareza quanto aos valores que defende e estimula em seu ensino.

Qual o impacto da educação moral na formação dos estudantes?

Hoje em dia, já não se vê mais a escola apenas como o local onde os jovens aprendem as matérias teóricas, mas como um espaço de formação integral. Com isso, a educação para a cidadania também deve ser considerada uma parte fundamental do ensino escolar.

Por esse motivo, a importância dos valores morais precisa ser explícita no ensino e estar no cotidiano dos estudantes. Essa experiência escolar se reflete em todos os aspectos da vida do jovem.

Os benefícios de uma escola que valoriza a ética em sua maneira de educar são muitos. Com uma boa formação moral, as crianças e os adolescentes mostram mais respeito aos colegas, à família, às pessoas com quem convive em geral e também ao ambiente, visto que são estimulados ao cuidado e à empatia.

Esse tipo de formação também melhora o aprendizado. Os alunos compreendem a importância do compromisso e, com isso, se dedicam mais às matérias escolares. No futuro, também terão maiores chances de se tornarem bons profissionais e agir de maneira honesta e íntegra.

A formação moral também é importante para os processos seletivos que o estudante realizará, caso deseje ingressar no ensino superior. O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), por exemplo, tem sua prova baseada na Declaração Universal dos Direitos Humanos, que mencionamos anteriormente. Com isso, caso o participante escreva algo que fira os direitos humanos em sua redação, ele sofre uma penalização que compromete a sua nota no exame.

Assim, os jovens que desenvolvem sua formação ética durante o ensino básico têm um preparo melhor para a os processos seletivos também. Dessa maneira, eles aprendem a se expressar de forma autônoma e compreendem melhor seu papel no mundo sem com isso ferir ou diminuir a autonomia e o espaço das outras pessoas.

Portanto, quando a família e a escola reconhecem a importância dos valores morais e o papel de cada uma dessas esferas para a formação das crianças e dos adolescentes, o desenvolvimento deles é beneficiado.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a importância dos valores morais e também como a escola tem um papel importante em tudo isso? Compreender bem a relevância desse assunto é fundamental para escolher o melhor colégio para seu filho e também para estimular, em casa, todos esses conceitos com os pequenos.

Se você procura um colégio que, além de contar com ótimo ensino, também preze pelos valores morais, humanos e cristãos, o Colégio Arnaldo é uma ótima opção. Entre em contato conosco nas unidades Anchieta e Funcionários e saiba mais sobre as nossas propostas para a educação dos seus filhos!

Powered by Rock Convert