O que você precisa saber sobre o protagonismo do aluno na educação

Se antes os estudantes eram apenas passivos no aprendizado, entendendo o que o professor desejava explicar e aceitando todas as informações, atualmente, os estudos em Pedagogia mostram a importância do protagonismo do aluno. Nesse sentido, estudiosos perceberam que é preciso levar em consideração as suas necessidades e os seus interesses para melhorar o aprendizado.

Com isso, o protagonismo do aluno passou a ser cada vez mais debatido, justamente por pensar em uma educação completa, estimulante e significativa. Esse termo relativamente novo não trata da liderança solitária, mas, sim, do incentivo ao envolvimento do estudante na escola por meio de práticas que o convidem a uma postura autônoma e participativa.

Neste post, nós explicamos o que é esse conceito e como ele é importante para a educação. Além disso, você descobrirá quais são as situações que podem estimular ou inibir esse desenvolvimento no seu filho. Parece interessante? Então, não deixe de conferir o conteúdo até o final!

O que é o protagonismo do aluno?

Quando você pensa na escola, logo vem a imagem de alunos enfileirados em carteiras, copiando páginas e páginas de conteúdo, não é mesmo? Mas, com estudos e experiências práticas, os educadores começaram a perceber que nem sempre esse formato de aula é o mais eficaz e, de modo geral, até prejudica o desenvolvimento do protagonismo do aluno.

Em suma, o modelo tradicional de ensino não envolve o estudante no aprendizado, que apenas entende o que deve fazer e reproduz, sem participar de maneira ativa do processo. As novas propostas educacionais, no entanto, chegam com a ideia de mudar esse cenário e de priorizar o debate e o envolvimento dos jovens nas decisões escolares.

Com o tempo, os profissionais foram percebendo que, quando a educação é muito distante da realidade dos jovens, ela não consegue fazer com que eles tenham tanto envolvimento e tanta curiosidade. Ou seja, eles acabam por ficar desestimulados.

O protagonismo do aluno tenta colocar as dúvidas, os interesses, os desejos e as necessidades dele como pontos centrais para o aprendizado. Assim, o professor não é o detentor do saber, que apenas transmite os conteúdos de modo automático, mas um incentivador da curiosidade do estudante. O seu papel é também direcionar o aluno em sua investigação para aprender mais.

Além disso, a noção de protagonismo considera a coletividade como um ponto importante para a construção do conhecimento. De maneira prática, os estudantes aprendem a pensar juntos quando colaboram entre si, melhorando, assim, as suas experiências em sala de aula.

O incentivo ao protagonismo tira a autoridade de pais e de professores?

Quando se fala em protagonismo do aluno, é frequente se pensar em um jovem que pode fazer o que quiser, sem limites. Mas, na realidade, não é assim que acontece. Um dos pontos principais dessa nova tendência pedagógica é o incentivo ao diálogo para buscar soluções.

O intuito é que ele consiga compreender melhor a sociedade em que vive, os espaços coletivos aos quais pertence e, sobretudo, a si mesmo. Desse modo, é possível lidar melhor com as diferenças, respeitar mais as pessoas e os ambientes, lidar com conflitos e estar mais aberto ao diálogo. O que se nota é uma melhor relação com os pais, com os colegas, com os professores e com a sociedade em geral.

Nesse modelo educacional, a escola se torna um espaço seguro para expor os pensamentos, levantar as próprias questões e desenvolver uma visão de mundo mais abrangente, crítica e autônoma. Cabe ao professor buscar uma forma de estimular e de despertar a curiosidade do estudante, mostrando os caminhos para que ele construa o conhecimento e se torne, enfim, protagonista do seu aprendizado.

Quais são os benefícios de uma educação centrada no protagonismo do aluno?

Cada vez mais, as escolas estão adotando um modelo de educação que leva em consideração o protagonismo do aluno. São muitos os benefícios que podem ser percebidos para a sua vida no que diz respeito à escola, à comunidade e à família. Veja, a seguir, as principais vantagens.

Criatividade

Quando os alunos são convidados a ter um pensamento mais autônomo, eles desenvolvem as suas as próprias ideias e se tornam também mais criativos. Essa é uma habilidade importante não só na escola, mas para a sua vida pessoal e para a profissional como um todo.

Pensamento crítico

O pensamento crítico é fundamental para uma boa formação. Alunos que refletem mais sobre todos os assuntos na escola conseguem ter uma melhor visão de mundo, podendo fazer ponderações e aprendendo a ter um olhar mais questionador.

Consciência de equipe

O protagonismo do aluno incentiva a busca por soluções em grupo, o pensamento coletivo e as discussões com respeito. Isso é importante para a sua vida em sociedade e é também uma habilidade muito valorizada no mercado de trabalho.

Interesse pelo aprendizado

Em uma educação estimulante, os alunos sentem mais prazer no aprendizado e conseguem desenvolver um interesse genuíno pela escola. Os estudos deixam de ser uma tarefa chata e cansativa e passam a ser instigantes. Essa é uma forma de ajudar a relacionar os conhecimentos e torná-los mais significativos.

Mais autoestima

Em uma escola que leva em consideração o protagonismo do aluno, bem como as suas necessidades, os seus desejos e as suas dúvidas, os estudantes se sentem naturalmente mais valorizados e mais acolhidos. Assim, desde a sua formação básica, eles aprendem que os seus pensamentos são importantes, passam a se conhecer melhor e se colocam na sociedade também de forma mais consciente.

Respeito ao outro

Quando o jovem percebe que o seu pensamento é importante e tem contato com o trabalho colaborativo, ele aprende também a respeitar as outras pessoas. Os debates que promovem o respeito às diferenças e às opiniões divergentes ajudam a lidar com a diversidade e fazem com que ele desenvolva respeito e empatia.

Capacidade de lidar com os problemas

Como falamos, o protagonismo do aluno valoriza a solução de problemas em conjunto por meio dos debates e da consideração de diversos fatores na tomada de decisões. Isso contribui não só para a sua capacidade de lidar com as adversidades em sua vida escolar, mas também fora dela, em todas as suas experiências.

Quais são as atividades que incentivam o protagonismo do aluno?

Agora que você já sabe o que é protagonismo do aluno e as vantagens da metodologia, chegou o momento de conhecer as principais atividades que incentivam esse desenvolvimento. A escola tem um papel essencial nesse processo, como você conferirá a seguir.

Projetos

Os projetos consistem, basicamente, em pesquisa, em discussão e em apresentação. Eles incentivam a busca por conhecimento e incitam a curiosidade dos alunos, sobretudo se eles são envolvidos no planejamento e em todas as demais etapas dessa atividade.

Emprego da tecnologia

A tecnologia ressignifica o processo de aprendizagem, tornando-o mais criativo, atraente e interativo. Ela favorece a retenção dos conteúdos, gerando mais engajamento por parte dos estudantes. Algumas ferramentas tecnológicas, inclusive, podem até ajudar a escola a acompanhar melhor o desempenho de cada aluno. Nesse sentido, os professores podem apostar em:

Votações e debates

Promover votações para tomadas de decisões simples no dia a dia é uma boa estratégia de incentivo ao protagonismo do aluno. Assim como os debates, elas desenvolvem o pensamento crítico, além de estimularem a participação em sala de aula. Cabe, então, aos professores a promoção de um ambiente acolhedor para que os jovens se expressem e se sintam motivados.

Quais são as atitudes que inibem o desenvolvimento do aluno na escola?

Como você pôde conferir, a escola tem um papel decisivo no desenvolvimento do protagonismo do aluno. Além disso, os métodos pedagógicos escolhidos fazem toda a diferença nesse processo, assim como o papel do professor, que deve mediar e facilitar a aprendizagem.

Existem, contudo, algumas atitudes por parte dos docentes que podem prejudicar esse desenvolvimento. A seguir, veja as principais:

  • divulgar decisões já tomadas, sem permitir que os jovens se envolvam no processo;
  • recusar-se a esclarecer as dúvidas dos alunos quantas vezes forem necessárias;
  • inibir a participação em sala de aula;
  • permitir que os alunos tomem decisões, mas não interferir no processo;
  • evitar o diálogo e levantar a voz;
  • expor os jovens a situações vexatórias na frente dos colegas de classe.

Além da atuação do professor, saiba que outros fatores externos podem afetar o desenvolvimento do aluno na escola, como:

O contato constante dos pais e responsáveis com a escola ajuda a diminuir os problemas de aprendizagem e a melhorar o desempenho do estudante, favorecendo o protagonismo do aluno. Saiba, no entanto, que, em alguns casos, a busca por um psicólogo pode ser decisiva para garantir a saúde mental dos jovens, sobretudo se há uma mudança brusca no comportamento deles.

Em suma, a sociedade vive constantes transformações e a escola, como espaço de preparação para a vida, precisa acompanhar essas mudanças, oferecendo aos estudantes os recursos de que eles precisam para a sua formação completa. Uma educação que leve em consideração o protagonismo do aluno incentiva uma postura mais autônoma e faz com que o aprendizado se torne um hábito que ele levará para toda a sua vida, independentemente do caminho escolhido.

Gostou das informações deste texto? Então, aproveite para curtir a nossa página no Facebook e, assim, ter acesso a outros conteúdos especiais sobre o mundo educacional.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.