protagonismo infantil

Protagonismo infantil: qual é o papel dos pais nessa construção?

O desenvolvimento do protagonismo infantil, comumente confundido com o posicionamento da criança como o cerne de tudo — inclusive com hábitos pouco saudáveis relacionados a mimos excessivos —, embora possa representar um desafio, é extremamente importante. Afinal, na verdade, o conceito envolve o estímulo ao aprendizado de forma ativa por meio de mais espaço, autonomia e encorajamento.

Ou seja, a ideia do protagonismo infantil é tornar os pequenos agentes da própria evolução, com “poder” de exercer influência sobre o que está à sua volta. Em suma, abarca a compreensão de que a criança é valiosa, mas não apenas porque será o adulto do futuro, mas também porque, independentemente da idade, já tem muito a contribuir.

Considerando a relevância do tema, nós elaboramos este post no intuito de sanar as principais dúvidas acerca dessa concepção, abordando as vantagens e, inclusive, o quão importante é optar por uma instituição de ensino cuja abordagem seja voltada à construção desse papel mais ativo. Continue a leitura e fique por dentro!

Quais são as principais vantagens do protagonismo infantil?

Inicialmente, é fundamental ter em mente que, para se tornar protagonista nos espaços que frequenta — como a escola, a igreja etc. —, a criança precisa não somente ser valorizada, mas também incentivada a expressar os próprios sentimentos, pensamentos e necessidades. Dessa forma, os pequenos deixam o papel passivo, que apenas recebe as “regras” já prontas, e assumem um papel mais ativo nos mais diversos contextos do cotidiano.

Na prática, o protagonismo infantil tem o potencial de estabelecer uma conexão entre as crianças e o seu entorno, mostrando a elas que todo e qualquer local pode, sim, representar uma fonte de aprendizado. Nesse sentido, é possível observar inúmeras vantagens, como as elencadas a seguir.

Desenvolvimento de um senso de responsabilidade maior

O incentivo ao protagonismo infantil permite que os pequenos percebam que têm responsabilidade no que diz respeito ao próprio desenvolvimento, bem como ao desenvolvimento da coletividade em que estão inseridos. Nesse contexto, pode-se afirmar que se trata de um posicionamento que não demanda a renúncia aos momentos de lazer e à diversão, porém que se integra ao modo como o aprendizado flui.

Naturalmente, isso conduz as crianças a notarem a capacidade que têm de exercer uma voz mais ativa. Isso porque, desde cedo, elas já são estimuladas a participar de processos decisórios e têm mais autonomia.

Melhora da autoestima e aquisição de habilidades socioemocionais

A educação que se baseia no protagonismo infantil é uma grande aliada no sentido de tornar as crianças mais capazes de conhecerem a si próprias e de serem proativas, também auxiliando no desenvolvimento de habilidades socioemocionais — tudo isso, por sua vez, contribui para o aumento da autoestima.

No meio escolar, por exemplo, mesmo que não seja viável atender às demandas de cada estudante, é imprescindível tentar acolher o máximo de vozes e levar em conta a participação da turma nas decisões.

Isso é especialmente importante para que as competências sociais sejam exercitadas e para que as crianças se sintam integradas ao grupo.

Formação de cidadãos mais ativos na sociedade

A consideração de pontos de vista distintos — e de elementos variados — na tomada de decisões é um exercício que faz parte do dia a dia, a partir do momento que se opta por levantar da cama até enfrentar os compromissos que exigem mais seriedade. Ou seja, decidir implica, sobretudo, a assunção de um papel mais ativo na sociedade, o que é possível exercer desde a infância.

Nesse sentido, o protagonismo infantil tem o propósito de justamente levar em conta as necessidades dos pequenos nesse processo. A partir de uma educação que enxerga os seus objetivos e as suas demandas, desde cedo, as crianças se veem pertencentes a um núcleo que também precisa delas para o seu bom funcionamento.

Desenvolvimento de indivíduos mais empáticos e autoconfiantes

Outro ponto notório é que o protagonismo infantil, via de regra, eleva a capacidade de as crianças explorarem o mundo à sua volta, tomando lições das vivências e das experiências ao longo dos anos. Então, quando a capacidade de refletir acerca das situações é trabalhada desde cedo, a autoconfiança passa a ser um traço integrante da personalidade.

Ainda nesse contexto, é interessante destacar que o protagonismo infantil pressupõe também o protagonismo dos outros. Ou seja, as crianças sabem que a sua voz deve ser escutada, mas compreendem também que os outros precisam desfrutar dessa mesma liberdade para o bom funcionamento da sociedade e das relações como um todo. Essa empatia auxilia a construir interações mais saudáveis de forma geral.

Qual é o papel dos pais no desenvolvimento do protagonismo infantil e por que escolher uma instituição de ensino que preze a aplicação desse conceito?

O protagonismo infantil está altamente associado ao exercício da cidadania, haja vista que cada indivíduo é visto como um agente responsável e que deve participar dos processos decisórios relativos ao desenvolvimento da sociedade na qual está inserido.

Assim, em primeiro lugar, é imperativo que os pais se conscientizem que a aplicação dessa ideia começa em casa, por meio, por exemplo:

  • da escuta ativa, tornando-se mais atentos a gestos, ações, sinais, falas e até ao silêncio dos filhos, aprendendo a “ouvir” mais e oferecendo condições ideais para que as crianças atuem como protagonistas em determinados momentos da sua educação;
  • da construção de ambientes acolhedores, sendo receptivos a novas ideias, de modo a encorajar as crianças a expressar o que sentem e o que buscam;
  • do incentivo ao autoconhecimento, o que envolve aprendizados diversos, relacionados, por exemplo, ao próprio corpo, às necessidades físicas, às limitações, aos sentimentos, às emoções etc., haja vista que isso auxilia as crianças a compreenderem o seu lugar no mundo e a descobrirem o próprio potencial — inclusive para superar limites.

Em segundo lugar, as instituições de ensino representam ambientes em que as pessoas têm a oportunidade de aprender a lidar com as outras, explorando potenciais para moldar a própria personalidade. Além disso, existem várias metodologias de ensino que valorizam o protagonismo infantil em razão de a participação mais ativa dos alunos potencializar o processo de ensino-aprendizagem — por isso é tão importante conhecer a abordagem pedagógica do colégio antes de matricular os seus filhos e levar esse aspecto em conta.

Como você pôde ver, o protagonismo infantil, tanto no seio familiar quanto no âmbito escolar, é um forte aliado do desenvolvimento das crianças, impactando positivamente, por exemplo, a formação de habilidades socioemocionais e a autoestima. Logo, embora a criança continue sendo criança, com toda a liberdade necessária para se divertir e aprender, ela passa a fazer tudo isso com uma autonomia maior e de forma mais participativa.

Este post foi útil? A valorização do protagonismo dos alunos é uma das características que você costuma buscar ao considerar as instituições de ensino para matricular os seus filhos? Deixe o seu relato nos comentários!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.