pais e filhos relacionamento

Como manter um bom relacionamento entre pais e filhos?

A relação entre pais e filhos é algo muito importante que começa a ser cultivado desde a descoberta da gravidez. Nesse momento, o bebê ainda depende totalmente da mãe, momento no qual as bases desse elo começam a ser construídas. Depois do nascimento, contudo, a criança ainda precisa dos pais para ter apoio emocional e psicológico — o que perdura por toda a sua vida.

Quer entender melhor sobre a importância do relacionamento entre pais e filhos e o que você pode fazer para ele ser cada vez melhor? Continue a leitura e tire suas dúvidas sobre como deve ser o seu comportamento em relação aos seus filhos!

Importância de um bom relacionamento entre pais e filhos

A relação com os pais é uma das mais importantes na vida de qualquer pessoa. Assim, é fundamental que a criança nunca se sinta sem apoio ou sem amor, porque esse tipo de carência afetiva pode fazer com que ela tenha a sensação de impotência ou desamparo diante dos desafios da vida.

Dessa forma, o bom relacionamento deve ter início antes mesmo do nascimento do bebê e continuar assim pelos próximos anos. Nesse sentido, é preciso considerar que é a partir das relações com a família que a criança aprende a se relacionar com as outras pessoas e a entender sua própria autoestima.

Assim, quando a criança tiver filhos, eles também serão muito amados. Da mesma forma, o jovem será capaz de construir relações saudáveis com as outras pessoas ao longo de sua vida.

Um bom relacionamento entre pais e filhos, portanto, é fundamental para a criança crescer com segurança, confiança e autonomia. Dessa maneira, ela aprende a ter respeito ao próximo e a identificar o que realmente importa. Além disso, a relação familiar vai influenciar diretamente os valores das próximas gerações.

Possíveis dificuldades na relação entre pais e filhos

A maioria dos conflitos que surgem na relação entre pais e filhos tem origem na falta de comunicação dentro de casa.

De um lado, os filhos, principalmente na adolescência, geralmente pensam que os pais só querem impor regras e proibir. Do outro lado, os pais podem pensar que os filhos só querem permissões. Quando, no final das contas, os conflitos só escondem uma verdade: a necessidade de querer ser amado pelo outro.

Cada fase tem as suas peculiaridades, seus desafios e formas de construir e manter uma intimidade que deve perdurar pelo resto da vida.

Na infância, os pais geralmente precisam lidar com a impulsividade e a dificuldade que a criança tem de controlar emoções intensas, como a raiva. Na adolescência, a rebeldia e o desaforo dificultam uma comunicação saudável dentro de casa.

Por parte dos responsáveis, uma postura rígida, que não garante um espaço para a criança se expressar e dizer como se sente, impossibilita a criação de uma intimidade — a qual é tão necessária para os pais conhecerem seus filhos e saberem como se comunicar com eles.

Outro fator que influencia bastante a relação de pais e filhos é a ausência de tempo. A rotina de trabalho repleta de compromissos, muitas vezes, torna-se uma questão decisiva para a interação familiar.

Para superar esse problema, aproveite de maneira satisfatória cada instante juntos. Lembre-se de que estamos o tempo todo criando memórias. Por isso, priorize passeios e compromissos capazes de criar momentos agradáveis, fortalecendo o laço entre pais e filhos. Também é importante ter a consciência de que presentes não suprem a ausência de tempo.

Formas de manter um relacionamento de qualidade

Por mais que as crianças cresçam e surjam as dificuldades na relação, a confiança, o respeito e o diálogo devem estar sempre presentes na família. A partir das conversas frequentes e da manutenção do vínculo entre pais e filhos, o relacionamento poderá ser construído com base no amor e na confiança.

Para isso, é preciso que o cuidado seja diário. Saiba agora o que você pode fazer visando a cultivar uma boa relação com os seus filhos.

Converse bastante

A base desse relacionamento deve ser a conversa — mesmo quando a criança ainda não souber falar. Esses momentos de diálogo são fundamentais para os pequenos perceberem que seus pais se importam com eles. Por isso, converse sobre como foi o dia na escola ou o que ele quer fazer mais tarde — o importante é esses momentos serem frequentes.

Da mesma maneira, a conversa é fundamental para a criança aprender a compreender as próprias emoções. Nesse sentido, quando ela estiver triste, irritada ou assustada, é essencial que os pais expliquem a natureza da situação e ofereçam ajuda.

Dessa forma, ela saberá lidar melhor com essas sensações. No futuro, a criança se sentirá segura para conversar sobre qualquer coisa e ficará mais madura em relação aos sentimentos dela.

Divida uma paixão

Quando pais e filhos dividem uma mesma paixão, um hobby ou uma atividade que podem fazer juntos, o relacionamento é reforçado. Essa paixão deve oferecer a oportunidade de passarem algum tempo juntos, em momentos de interação e de sentimentos compartilhados.

Pode ser um esporte, uma atividade artística, o amor por determinado filme ou um estilo musical. Essa é uma excelente maneira de estreitar o vínculo familiar e de melhorar a intimidade.

Seja presente

Você precisa estar presente em qualquer momento da vida de seu filho, seja ele bom, seja ele mau. Por isso, não perca nenhuma das ocasiões especiais, como aquele final do campeonato de futebol ou a apresentação de dança na escola. É importante para a criança se sentir apoiada e motivada pelos pais — um sentimento insubstituível.

Crie um tempo livre

De tempos em tempos, os pais precisam de um momento a sós com seus filhos, pois isso ajuda no fortalecimento da relação. Reserve um tempo para brincar junto à criança, ler, conversar, fazer um piquenique e dar abraços. Esqueça todos os problemas no trabalho, as contas a pagar e aprecie o presente.

Elogie

As crianças devem reconhecer suas habilidades e saber que os pais se sentem orgulhosos por isso. Portanto, mostre como você se sente feliz pelo crescimento e pelas conquistas delas. Afinal, quem não gosta de escutar elogios, não é mesmo? Essas atitudes são essenciais para tornar a relação ainda mais próxima.

É importante considerar que muitas coisas que, para os adultos, são corriqueiras, para as crianças representam grandes conquistas. Assim, elas esperam que haja o reconhecimento das suas superações diárias. Dessa forma, comemore com ela cada avanço em seu desenvolvimento.

Ensine o que sabe

Sempre que possível, ensine o que você sabe ao seu filho. Pode ser uma atividade profissional, uma tarefa doméstica ou mesmo um passo antigo de dança. Não desperdice nenhum momento de aprendizagem, pois isso colabora fortemente para a relação entre pais e filhos. Além disso, seus conhecimentos e suas histórias passarão adiante até as próximas gerações.

Da mesma maneira, você pode aprender com o seu filho. Considere essas oportunidades como trocas importantes para aproximar a família. Por isso, fale sobre as coisas que sabe, mas esteja aberto a ouvir e aprender mais. As crianças também têm coisas incríveis a ensinar.

Tenha amor

As relações sólidas e saudáveis devem ter como base o amor, portanto, o relacionamento entre pais e filhos não poderia ser diferente. Ame seu filho e deixe-o saber disso em qualquer situação. Aceite as particularidades de cada um e, por mais que ele cometa deslizes ou tome decisões com as quais você não concorda, não deixe de amá-lo e apoiá-lo.

Nesse sentido, quando em algum momento os filhos não se sentem amados pela família, toda a relação que vocês construíram ao longo da vida fica abalada. É preciso ter firmeza quando necessário, orientar sobre assuntos importantes, mas sem nunca optar pela agressividade. Até nos momentos de conflito os filhos precisam saber o quão são amados.

Dê liberdade

A fim de manter do relacionamento familiar, também é importante dar liberdade ao seu filho. Deixe-o se expressar como achar melhor: pela dança, pelo canto, nas brincadeiras de faz de conta ou por meio de conversas. Isso é fundamental para a construção da personalidade de cada um. Não imponha o que você gosta, afinal, cada pessoa é única.

É preciso que as relações em casa sejam baseadas na confiança e no respeito. Assim, quando existe diálogo, a liberdade acontece naturalmente. Isso estimula a independência e a responsabilidade dos jovens.

Faça críticas construtivas

Os pais têm a função de ajudar na formação dos filhos. Nesse sentido, eles devem se esforçar para que os jovens se desenvolvam da melhor maneira possível. Por isso, fazer críticas construtivas pode ser necessário e importante.

Contudo, isso deve ser feito sem julgamentos e com muita delicadeza. Caso a crítica seja feita sem o devido cuidado, a autoestima do seu filho pode ser afetada. Por isso, escolha o melhor momento para falar, ressalte as qualidades da criança e mostre como determinados aspectos poderiam ser melhores.

Auxilie a criança no processo de aprendizagem

A participação no cotidiano escolar é muito importante para a relação entre pais e filhos. Portanto, como dissemos, é preciso estar presente nos eventos realizados pelo colégio, além de ajudar nas tarefas de casa e ouvir o que foi aprendido nas aulas.

Da mesma forma, construir um bom ambiente de estudos e se colocar disponível para ajudar nas tarefas sempre que for necessário são maneiras de mostrar atenção e cuidado com o aprendizado do jovem. Faça o seu filho perceber como podem ser ricas as descobertas feitas por meio dos estudos e o quanto esse universo é encantador.

Seja um bom modelo

As crianças, principalmente as mais novas, aprendem como agir ao observar os adultos. Por isso, não se esqueça de ser um bom modelo a ser seguido. Não faça aquilo que você não quer que seu filho faça — ou tente, pelo menos, não fazer na frente dele. Por exemplo, para ele desligar o celular durante o estudo, evite mexer no aparelho enquanto conversa com o pequeno.

É preciso destacar que a hierarquia da família não pode ser quebrada, por mais próxima que seja a relação entre os pais e os filhos — a amizade e o amor devem existir, mas o respeito e a autoridade não devem ser deixados de lado. É justamente esse equilíbrio o grande desafio para oferecer uma boa educação às crianças.

Dicas para pais de primeira viagem

Com o nascimento do primeiro filho, é normal ter dificuldades para entender e aceitar algumas experiências e necessidades que todos os pais passam, principalmente nos primeiros anos de vida do bebê.

Abaixo, separamos algumas dicas para os pais de primeira viagem.

A sabedoria nasce com a experiência

Não existem limites em relação ao aprendizado, sobretudo quando falamos sobre a interação com as crianças. Por mais que já tenhamos vivenciado muitas situações na posição de filhos, as soluções para os problemas nunca são as mesmas — e nem serão únicas para todas as famílias.

O manejo nas relações vai se criando com a experiência. É importante ter a consciência de que os pais não sabem de tudo, principalmente na hora de dar conselhos. Vale a pena escutar os filhos e ajudá-los a encontrar as melhores soluções. Os problemas nunca serão os mesmos, e os jovens também sempre terão algo para ensinar.

Não existe relação ideal entre pais e filhos

Fazer comparações com a família dos amigos, perceber que os filhos dos vizinhos são mais compreensivos ou menos barulhentos é algo normal, uma hora vai acontecer. O problema acontece se as relações fora de casa são consideradas modelos perfeitos, quando, na verdade, todas as famílias têm problemas, embora em situações às vezes distintas.

A rede de apoio é fundamental

Os pais de primeira viagem precisam de uma rede de apoio para que tenham o suporte não só nos afazeres domésticos, como limpar a casa e lavar a louça, mas também no lado afetivo, tendo alguém para partilhar angústias, chorar e receber conselhos. Pode ser alguém da família, amigos, vizinhos, entre outras pessoas.

A relação entre pais e filhos é única, nenhuma outra no mundo pode substituir essa. Por isso, quando a família não apoia ou não compreende as crianças e os adolescentes, eles acabam procurando apoio em outras pessoas. Portanto, cultive, acima de tudo, a união com seus filhos. Mantenha o diálogo e a empatia, que o amor e o carinho não faltarão.

Gostou do conteúdo? Se você quiser ficar por dentro de outras dicas e informações úteis sobre a participação dos pais na educação dos filhos, assine agora mesmo nossa newsletter e receba tudo na sua caixa de e-mail!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.