rendimento escolar

5 maneiras de usar a tecnologia para melhorar o rendimento escolar

Nos dias de hoje, é possível dizer que as crianças já nascem conectadas e, com bastante facilidade, ainda cedo aprendem a manipular — e muito bem — os mais diversos dispositivos. No entanto, quando chegam à fase de iniciar a vida escolar, não é incomum que a utilização dos inúmeros recursos digitais e da tecnologia se tornem temas polêmicos e fatores que geram alguma preocupação por parte dos pais e responsáveis.

“Até que ponto o acesso à internet pode prejudicar o rendimento escolar dos meus filhos?” — esse é, costumeiramente, um questionamento levantado. Entretanto, a verdade é que o universo virtual, já tão presente no cotidiano dos estudantes desde a infância, não precisa ser enxergado sob essa perspectiva negativa.

Pelo contrário, a tecnologia, quando bem utilizada, pode ser uma grande aliada para melhorar o desempenho dos seus filhos, já que coloca à disposição — quase literalmente — na palma da mão inúmeras soluções que podem auxiliá-los nesse sentido. E então, que tal conhecê-las melhor? Continue a leitura deste post e veja 5 maneiras de utilizar os avanços desta era de transformação digital para melhorar o rendimento escolar!

1. Canais de estudo

Revisar os conteúdos abordados em sala de aula é uma excelente prática para uma melhor fixação, já que, ao fazê-lo, os estudantes têm a oportunidade de reter o conhecimento. Embora os exercícios que os professores habitualmente passam para serem feitos em casa sejam de grande valia para esse fim, a verdade é que alguns alunos não são muito “fãs” e, por vezes, não os fazem — ou, ao menos, não com o nível de concentração ideal.

Sendo assim, os canais de estudo, como os fóruns, funcionam como ótimas alternativas. Por meio deles, os estudantes podem trocar informações e promover debates acerca das temáticas trabalhadas na escola. Dessa maneira, eles aprenderão mais e, em simultâneo, ensinarão uns aos outros — uma prática que, inclusive, é altamente recomendável em tempos em que a Educação 4.0 é vista como o caminho.

Além disso, as discussões que acontecem nesses espaços geralmente instigam os estudantes a se aprofundarem nos tópicos das disciplinas, gerando um envolvimento maior. Naturalmente, tudo isso contribui para a melhora do rendimento escolar.

2. Recursos interativos

Cada vez mais, o modelo tradicional de ensino, que remete a alunos enfileirados em sala de aula apenas escutando os educadores — nesse formato, vistos como os únicos detentores do conhecimento —, tem perdido espaço. Principalmente quando se trata do uso da tecnologia no contexto educacional, as inovações se mostram valiosas para a retenção das informações.

A própria Pirâmide de Aprendizado de William Glasser, psiquiatra norte-americano amplamente conhecido pelos seus inúmeros estudos sobre o comportamento humano e a saúde mental, reforça essa ideia, ao defender que nós aprendemos:

  • 10% quando lemos;
  • 20% quando ouvimos;
  • 30% quando observamos;
  • 50% quando vemos e ouvimos;
  • 70% quando discutimos com os outros;
  • 80% quando fazemos;
  • 95% quando ensinamos para os outros.

Considerando essa teoria, os recursos interativos, como simulações, jogos e animações, permitem que os estudantes aprendam por meios diversos. Isso amplia a capacidade de absorção das disciplinas.

Inclusive, a prática aponta um caminho que pode ser trilhado pelas escolas com o intuito de oferecer um processo de ensino-aprendizagem mais personalizado e que pode ser mais bem aproveitado. Isso é especialmente válido para os alunos que enfrentam alguma dificuldade em reter as informações pelos meios atualmente tradicionais.

3. Leitura online

A internet, como bem se sabe, é uma fonte quase infinita de informações. Nesse sentido, mais um dos benefícios da tecnologia no processo de aprendizagem é justamente a possibilidade de acesso a um sem-número de materiais, histórias, livros etc., que podem impactar positivamente o rendimento escolar em cada uma das etapas. Ou seja, desde a alfabetização até a preparação para os vestibulares.

4. Gamificação

As plataformas de gamificação são outras excelentes aliadas para a personalização do aprendizado, o que possibilita que os estudantes lidem com as disciplinas fazendo uso de metodologias diversas de acordo com o que gera melhores resultados. Assim, há grandes chances de haver uma potencialização do rendimento escolar por meio do uso de recursos divertidos e lúdicos.

Essa metodologia, inclusive, também pode ser adotada por iniciativa da instituição de ensino. Afinal, além de gerarem trilhas de games customizados conforme as necessidades de cada um dos alunos — levando em conta, por exemplo, as matérias ou os tópicos com os quais a turma tem menos afinidade —, essas ferramentas disponibilizam aos professores dados importantes para um melhor direcionamento pedagógico, tornando o docente um mediador do processo de ensino-aprendizagem.

5. Ensino híbrido

Por fim, o último dos recursos tecnológicos que abordaremos neste artigo é, na verdade, um modelo de ensino que pode ser adotado pelas escolas — o ensino híbrido. Nesse formato, há uma mescla entre off-line e on-line com o propósito de proporcionar aos estudantes uma experiência tanto mais eficaz quanto mais rica em termos de absorção do conhecimento.

Basicamente, é a inclusão, por parte das instituições de ensino, da tecnologia na espinha dorsal do processo de ensino-aprendizagem. Nesse caso específico, as ferramentas não são, então, empregadas de maneira acessória, mas, sim, de forma estrutural.

Por trás da ideia, há a percepção de que, da mesma forma que cada indivíduo é único, cada aluno tem o seu próprio modo de aprender e de reter os conteúdos. Então, para que o conhecimento efetivamente chegue a todos, ele não pode ser repassado seguindo um modelo engessado. A finalidade é oportunizar que os estudantes tenham mais autonomia e mais responsabilidade, desempenhando um papel mais ativo nesse processo. Nesse sentido, o bom rendimento escolar não é uma finalidade, mas, sim, uma consequência.

Por fim, ainda vale ressaltar que a tecnologia pode ser de grande valia, inclusive, para os pais e responsáveis, viabilizando o acompanhamento do desempenho dos filhos. Por meio dela, pode ser viável ter uma participação maior na vida escolar dos estudantes, por exemplo, monitorando os resultados das avaliações, tendo um canal de comunicação direta com a instituição de ensino etc.

Isso nos mostra que, em uma era de transformação digital, as inovações que surgem em um ritmo cada vez mais acelerado não precisam ser enxergadas sob uma ótica negativa, como se representassem meramente elementos de distração para os estudantes. Na verdade, se bem utilizadas, de forma consciente e moderada, tais ferramentas podem ser determinantes para uma melhora no rendimento escolar e para a experimentação, por parte dos alunos, de um aprendizado que acompanha as mudanças do mundo atual.

A propósito, agora você entende por que é interessante considerar como o colégio emprega a tecnologia no contexto educacional no momento de fazer a escolha da instituição onde os seus filhos serão matriculados? Veja mais sobre o assunto no neste post!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

1 Comentário

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.