Veja como garantir a segurança digital em ambientes de aprendizagem online

Em tempos de pandemia, nos quais as aulas remotas se tornaram parte obrigatória do processo de ensino, é fundamental que os pais redobrem a atenção em relação à segurança digital dos ambientes de aprendizagem online.

Com a rápida transformação da prática pedagógica no período de isolamento social e considerando a aplicação da tecnologia nas aulas, a relação entre professores e alunos é totalmente mediada pela rede. Mesmo assim, a conectividade pode oferecer riscos, sobretudo na questão do sigilo das informações e dados veiculados na internet.

Ficou curioso sobre o assunto? Então, acompanhe a seguir e veja como é possível garantir a segurança digital em ambientes de aprendizagem online.

Quais são as ameaças que podem comprometer as aulas remotas?

Com a relevância e presença das novas tecnologias no ambiente escolar, os desafios de segurança também aumentam. Afinal, diferentes formas de vulnerabilidades e ameaças podem comprometer os dispositivos utilizados para o processo de ensino, gerando roubo ou sequestro de dados pessoais dos alunos.

Uma possível violação das informações pessoais é capaz de gerar inúmeros prejuízos, como sequestros, cyberbullying, ameaças e difamações. Por isso, todos os acessos nos ambientes de aprendizagem online devem ocorrer utilizando os melhores padrões de qualidade e segurança cibernética.

Nesse sentido, as instituições escolares têm um papel vital de escolher por ferramentas e recursos tecnológicos que garantam o correto armazenamento e a confidencialidade dos dados coletados dos discentes. Existem uma série de recomendações e cautelas a serem colocadas em prática para evitar, ao máximo, a disseminação criminosa das informações pessoais dos alunos na rede.

O que diz a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)?

A recente Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) apresenta os cuidados que o setor educacional deve tomar a fim de se adequar à legislação sobre o trato e armazenamento de dados de terceiros. No artigo 14, por exemplo, recomenda-se às instituições de ensino um tratamento rigoroso das informações de crianças e adolescentes, pois o risco de exposição ou vazamento de dados de menores de idade é muito mais alto.

Dessa forma, as escolas precisam passar por uma transformação em suas práticas de segurança, garantindo que plataformas digitais, sites e aplicativos sejam restritos e construídos baseados na nova política de uso e acesso. A lei prevê que os diretores elaborem estratégias para amenizar os impactos nos processos e apliquem novas regras e diretrizes, de modo a seguir a conformidade da LGPD.

Nesse sentido, será preciso rever o formato de armazenamento das informações, redesenhar uma logística para autorizações e deixar bem claras quais são as políticas de uso dos dados e suas finalidades. De acordo com a LGPD, as instituições de ensino devem disponibilizar os dados aos pais e estudantes sempre que forem solicitados, por qualquer que seja o motivo.

Como garantir a segurança digital em ambientes de aprendizagem online?

Uma das maiores causas da insegurança na internet tem sido o ônus da digitalização das informações escolares. Mesmo assim, isso não impede que as famílias adotem medidas de segurança visando a proteger os filhos em ambientes de aprendizagem virtuais.

As escolas que não estiverem alinhadas às exigências da LGPD correm sérios riscos de sofrer advertências e multas. Portanto, garantir o correto armazenamento também é parte do cumprimento dos direitos humanos, da missão e dos valores que fazem parte da realidade educativa.

A seguir, veja algumas dicas para assegurar a segurança digital dos alunos, de seus dados e ações na web da melhor forma.

Tenha um bom antivírus no dispositivo

Para que os dispositivos digitais fiquem devidamente protegidos, impedindo a exposição do estudante, é preciso tomar medidas de segurança, instalando antivírus e firewalls em todos os equipamentos conectados à internet. Os programas funcionam como uma barreira de proteção eficiente contra os perigos de softwares mal-intencionados e maliciosos.

Também é indicado instalar filtros nos dispositivos a fim de evitar que a criança ou o adolescente veja conteúdos indesejáveis. Essa funcionalidade bloqueia o acesso em diferentes ambientes digitais e em redes sociais, auxiliando diretamente na proteção dos educandos e de seus dados.

Use plataformas que exigem autenticação para o acesso

A autenticação garante que o usuário confirme a sua identidade ao tentar realizar o login na plataforma. Esse tipo de ação de segurança gera códigos que só podem ser utilizados por um curto período, a fim de confirmar a legitimidade de quem está tentando o acesso.

Alternativas como reconhecimento facial e biometria são métodos de autenticação eficientes. Dessa maneira, o ambiente de aprendizagem online diminui consideravelmente as chances de sofrer qualquer tipo de ameaça, crime ou roubo de dados de alunos e de seus familiares.

Troque constantemente as senhas usadas em ambientes digitais

Outra dica é trocar regularmente as senhas usadas nos ambientes digitais, de preferência tendo acesso às do seu filho. O acompanhamento colabora para uma navegação mais segura e impede que terceiros realizem invasões cibernéticas e roubem dados.

O ideal é que os pais elaborem senhas fortes e conversem com as crianças e os jovens sobre os cuidados ao armazená-las. De fato, senhas fortes e bem protegidas são essenciais quando se trata de segurança na rede.

Acesse páginas com certificado SSL

Os certificados SSL (Secure Socket Layer) são utilizados com o intuito de proteger transferências de dados, transações, acessos e outras informações pessoais. Eles proporcionam mais segurança aos usuários e permitem a visita em um site ou plataforma por mais tempo, sem riscos ou exposições a hackers.

Sendo assim, a família deve controlar e garantir aos pequenos apenas o acesso a sites com certificação SSL. A tecnologia utiliza algoritmos criptografados para codificar os dados originais, de modo que tornem seu significado incompreensível para hackers mal-intencionados. Assim, os criminosos ficam impossibilitados de sequestrar e decodificar o conteúdo presente em sites e plataformas.

O ensino digitalizado têm sido utilizado por muitas escolas visando a garantir que as aulas ocorram normalmente no período de isolamento social. No entanto, é imprescindível que as instituições de ensino implementem plataformas de segurança digital para armazenar as informações dos alunos.

Caso os pais tenham dúvidas quanto à segurança dos ambientes de aprendizagem online, será preciso entrar em contato com a equipe educacional e checar se as medidas necessárias estão sendo tomadas para evitar a veiculação criminosa dos dados dos estudantes.

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe-o nas redes sociais para que alcance ainda mais pessoas interessadas no assunto!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.