Nas últimas décadas, o número de pessoas estressadas cresceu exponencialmente. Além dos números alarmantes (estima-se que cerca de 90% da população mundial sofra atualmente com essa doença), os dados também assustam quando falamos do Brasil, que foi considerado o segundo país mais estressado do planeta. Infelizmente, as crianças não estão imunes e precisamos conversar sobre o estresse infantil.

Seguindo o passo dos adultos, que sofrem com os efeitos de um dia a dia caótico e do acúmulo de preocupações e obrigações, as crianças estão cada vez mais inseridas em um contexto em que o emocional não está tão equilibrado quanto outrora. Além disso, infelizmente muitas vezes os pais, por falta de informações, acabam não percebendo os sintomas desse problema.

Por isso, precisamos conhecer os principais sinais do estresse para fornecer aos pequenos o suporte e tratamentos necessários.

Assim, eles podem voltar a ter a qualidade de vida que merecem e desfrutar da infância, sem o excesso de preocupações que pode ser muito nocivo, especialmente a longo prazo.

Pensando nisso, preparamos um artigo que tem como objetivo explicar mais sobre o estresse infantil e ensinar os pais e responsáveis a lidar melhor com essa situação. Vamos aprender mais sobre esse assunto? Boa leitura!

O que é o estresse?

De modo generalizado, o estresse nada mais é do que um conjunto de reações consideradas benéficas para o nosso corpo. Ele é ‘’ativado’’ durante situações de perigo e é caracterizado por uma grande liberação de substâncias responsáveis, por exemplo, por nos fazer pensar melhor ou correr mais rápido a fim de escapar do risco iminente.

No entanto, ele passa a ser considerado nocivo quando ocorre com uma frequência muito grande. Estar constantemente sob o efeito do estresse pode prejudicar diversos órgãos de nosso corpo graças à sobrecarga ou até mesmo causar problemas emocionais, incluindo a depressão.

Quais são as principais causas do estresse infantil?

O estresse infantil, assim como ocorre com os adultos, pode ser causado por uma ampla variedade de fatores. As crianças também têm uma grande sensibilidade, e se engana quem acha que elas estão alheias ao que acontece ao seu redor.

Um grande exemplo de razões para o estresse em crianças é a ocorrência de conflitos em casa. A separação dos pais ou brigas constantes entre o casal, por exemplo, podem contribuir para que isso ocorra.

Outro fator muito comum é a sobrecarga de responsabilidades muitas vezes infligidas às crianças. Alguns colégios, por exemplo, não têm uma preocupação com esse tema e fazem com que os pequenos precisem se desdobrar para dar conta de todo o conteúdo.

Além disso, o isolamento ou o bullying (que muitas vezes acontecem simultaneamente) são fortes fontes de estresse para as crianças das mais variadas idades.

Como podemos identificar esse problema?

Para intervir rapidamente e oferecer o suporte necessário para as crianças estressadas, é preciso saber reconhecer esse problema da melhor maneira possível. A seguir, veremos alguns dos principais sintomas atribuídos ao estresse:

  • alterações no apetite (tanto uma redução quanto um aumento);
  • dificuldades para pegar no sono ou sonolência excessiva;
  • isolamento social;
  • perda da vontade de ir para a escola;
  • relutância em participar de brincadeiras;
  • episódios de choro fácil;
  • irritabilidade;
  • nervosismo;
  • queda no rendimento escolar;
  • dores frequentes na cabeça ou no estômago.

Vale a pena salientar que nem sempre esses sinais indicam apenas o estresse. Todos esses sintomas podem apontar várias doenças e, por isso, a consulta com um pediatra é fundamental para excluir possíveis causas físicas.

Quais são as melhores dicas para lidar com estresse infantil?

Agora que já sabemos um pouco mais sobre o estresse e conhecemos os seus principais sintomas, que tal conferirmos algumas dicas para tornar a superação desse problema um pouco mais simples? Vamos lá!

Incentive a prática de atividades físicas com moderação

A prática de exercícios físicos deve ser incentivada na infância e inclusive pode ajudar a combater o estresse, desde que ela seja feita com moderação. Nada de exagerar nas atividades, já que o cansaço excessivo pode ter o efeito rebote e gerar muita ansiedade nas crianças.

Cuide da alimentação da criança

Uma barriguinha saciada é o primeiro caminho para que tudo dê certo na saúde de uma criança. Por isso, invista em pratos nutritivos e saborosos, que façam com que o organismo de seu filho possa funcionar da maneira adequada e deixá-lo menos ansioso.

Dê a devida importância ao lazer

Muitas pessoas veem o lazer como perda de tempo quando ele, na verdade, é crucial para a saúde e desenvolvimento de crianças e adultos. Invista em um tempo de lazer de qualidade, com passeios e brincadeiras que envolvam toda a família e deixem seu filho bem relaxado e integrado com o mundo a seu redor.

Participe da educação de seu filho

A participação dos pais na educação das crianças é um ponto muito importante tanto para auxiliá-lo em seus problemas, quanto para ficar por dentro do que acontece na escola. Assim, é possível identificar possíveis episódios de bullying ou perceber se o colégio está pegando pesado e sobrecarregando os seus alunos.

Não sobrecarregue a criança

Já que estamos falando sobre a sobrecarga física e mental gerada por algumas escolas, por que não citar esse fator como uma dica? Evitar sobrecarregar a criançada, seja com afazeres domésticos, responsabilidades ou até mesmo com problemas da família, é um ótimo caminho para manter o estresse bem longe de sua vida.

Demonstre muito amor e carinho

Por fim, a dica mais importante que podemos dar é: esteja sempre presente na vida de seu filho e dê muito amor e carinho para ele. Se sentir seguro e acolhido é fundamental para evitar o estresse e também combatê-lo caso ele apareça. Por isso, investir no fortalecimento desse relacionamento é uma ótima ferramenta na luta contra esse problema!

Como podemos ver, o estresse infantil é um problema sério que pode trazer muitas consequências negativas para a saúde da criançada. Outra dica fundamental é escolher um bom colégio, que dê uma atenção especial ao emocional de seus alunos, forneça o suporte necessário e promova atividades dentro de uma carga que não sobrecarregue os estudantes.

Um bom exemplo de instituição preocupada com a educação das crianças é o Colégio Arnaldo, referência em formação humana e cristã em Belo Horizonte. Em caso de dúvidas, informações ou sugestões, fique à vontade para entrar em contato!

Powered by Rock Convert