tarefas para crianças

Como e quando delegar tarefas para crianças em casa? Nós explicamos

As crianças aprendem muito sobre si mesmas e o mundo a cada atividade realizada. Durante a fase de formação da personalidade, é importante que adquiram o senso de responsabilidade e de colaboração, de modo a crescerem mais autônomas e empáticas. Assim, os pais que delegam tarefas aos filhos, desde os primeiros anos de vida e respeitando a faixa etária indicada, estão atuando em prol de um desenvolvimento infantil completo e saudável.

Quando os pequenos contribuem com as atividades da casa e se responsabilizam pela própria bagunça, eles aprendem a cuidar melhor dos espaços onde convivem, o que colabora para o fortalecimento dos laços familiares. Isso acontece porque se sentem mais conscientes da dinâmica doméstica, mais pertencentes ao lar, bem como compreendem que ele precisa ser cuidado com carinho e atenção por todos os moradores.

Os benefícios de tal educação se estendem por todas as relações que os seus filhos constroem ao longo da vida. Quer saber mais sobre isso? A seguir, explicaremos a importância da tarefa infantil dentro de casa, quais são as mais adequadas de acordo com a idade da criança e como fazer dessa interação um momento agradável para todos. Continue a leitura e confira!

Por que é fundamental incluir os pequenos na rotina de atividades domésticas?

Estimular a participação dos filhos na rotina de cuidados com casa, desde cedo, é uma forma de educá-los para a vida. Por meio dessas atividades, eles recebem valiosas lições sobre comprometimento, empatia, solidariedade, disciplina e autonomia, adquirem senso de pertencimento e também desenvolvem novas habilidades.

Para mais, de forma simples e lúdica, descobrem que vivemos em um mundo coletivo e que o bem-estar de todos depende da colaboração de cada um, tornando-se adultos mais responsáveis, preparados, saudáveis e felizes. Descubra alguns dos principais benefícios das tarefas domésticas para as crianças!

Novas habilidades

Incentivar a cooperação dos pequenos com as tarefas domésticas colabora para que desenvolvam uma série de novas habilidades, assim como aperfeiçoem aquelas que já possuem. O aprendizado se dá de forma integral, ou seja, são estimuladas habilidades físicas, emocionais, sociais e cognitivas.

Além disso, algumas delas serão de grande importância na vida prática adulta, tais como noções de limpeza, culinária, compras, consertos, organização da rotina, planejamento financeiro, entre outras.

Responsabilidade e consciência coletiva

Participar da manutenção de um espaço compartilhado proporciona o sentimento de cuidado e responsabilidade pelo que é seu, do outro e de todos. Isso favorece a noção de pertencimento a um lugar, a uma família etc.

A criança, assim, percebe que tem um papel importante na dinâmica familiar e na sociedade de forma geral, isto é, que ela pode contribuir para o bem-estar coletivo. Desse modo, é importante que os pais ensinem sobre o valor da cooperação e também sobre o impacto de nossas escolhas e ações individuais para o mundo e para as outras pessoas.

Autoconfiança e autonomia

Quando os pais delegam uma atividade ao filho, ele se sente valorizado, reconhecido e capaz. Por isso, é fundamental incentivar a sua iniciativa e elogiar os seus esforços e resultados. Da mesma forma, deve-se tomar muito cuidado com broncas e críticas.

O foco é fazer crescer o seu nível de autoconfiança, autoestima e autonomia, para que não se sinta inseguro de tentar ajudar novamente nas tarefas domésticas ou em qualquer outra coisa. Ao contrário, ele deve crescer se sentindo preparado para administrar os seus dias e resolver problemas sozinho.

Relações familiares

Um dos maiores benefícios de integrar as crianças nos cuidados com a casa é o estreitamento dos vínculos familiares. Uma vez que vocês estão em busca de um objetivo comum, todos se sentem mais envolvidos e felizes em contribuir. Ademais, compartilhar tarefas faz com que vocês passem mais tempo de qualidade juntos, tornando o ambiente doméstico muito mais harmônico.

Importa frisar que os pequenos aprendem principalmente por meio do exemplo e costumam replicar comportamentos que observam naqueles com quem convivem. Sendo assim, os pais devem, em primeiro lugar, adotar tais hábitos e evitar ficar reclamando quando executam tais atividades, para que os filhos não as entendam como um fardo e se sintam realmente estimulados a fazer sua parte.

Quando delegar tarefas para crianças em casa?

O esforço exigido pelas atividades deve respeitar as limitações físicas e intelectuais próprias de cada estágio do desenvolvimento dos pequenos. Só assim as tarefas domésticas fazem sentido dentro de seu universo e têm chances de serem incorporadas como hábito, isto é, levadas para a vida toda. Veja mais detalhes logo abaixo!

2 a 3 anos

Nessa faixa etária, a criança já pode guardar os seus brinquedos, colocar as roupas sujas no cesto e, caso ainda use fraldas, jogá-las no lixo após a troca. É uma ótima fase para começar a envolvê-la nas atividades domésticas, pois é comum que ela deseje copiar tudo que os mais velhos fazem, tornando as tarefas um momento divertido e de exploração do mundo.

Contudo, todas as atividades devem ser realizadas com a supervisão de um adulto. Também é necessário ser muito paciente, pois a criança pode ter dificuldade no começo ou demorar muito para fazer algo, aparentemente, simples. Mas isso é importante para o seu desenvolvimento, então, é melhor esperar que ela tente fazer as atividades com calma e só ajudar no que a criança ainda não for capaz.

4 a 5 anos

Quando a criança está na fase que vai dos 4 aos 5 anos, já tem mais habilidade para guardar seus brinquedos de maneira organizada. Pode também arrumar os livros e materiais escolares caso já frequente a educação infantil. Fazer a própria cama é outra tarefa a ser aprendida.

Durante essa etapa do desenvolvimento, mostre à criança a importância de limpar aquilo que sujar. Assim, ela deve aprender a recolher a comida que derrubar e devolver o que tirar do lugar.

Porém, isso não precisa ser feito como punição, pois, assim, a criança pode crescer com a sensação de que os afazeres domésticos são algo negativo. Por esse motivo, é interessante ensinar o senso de responsabilidade em vez de tratar as tarefas como um castigo.

6 a 7 anos

Nessa etapa, o seu filho já tem maturidade para uma maior participação na organização da casa, podendo arrumar o próprio quarto, varrer e tirar o pó dos móveis com pano. Também consegue dobrar e guardar as suas roupas. Outra atividade em família que se torna até bastante divertida às crianças é ajudar a dar banho nos animais domésticos.

Geralmente, os pequenos começam a ter mais afazeres fora de casa ou a se encontrarem com os colegas para brincar. Uma dica é negociar os horários das tarefas, de modo que eles consigam ter os momentos de recreação sem as suas responsabilidades ficarem de lado. Assim, eles começam a aprender a fazer o gerenciamento do próprio tempo.

8 a 9 anos

Entre os 8 e 9 anos, a criança já tem mais habilidades motoras, sendo capaz de realizar algumas tarefas domésticas com maior segurança. Dessa forma, ela pode lavar a louça, preparar lanches simples (que não usem fogo ou eletricidade, como sanduíches), aspirar o pó, colocar o lixo para fora e ajudar na limpeza do quintal.

10 a 11 anos

Já mais madura, entre 10 e 11 anos, a criança consegue ajudar na limpeza do carro e dos cômodos da casa, recolher as roupas do varal, participar do preparo de alguns alimentos e limpar a mesa depois das refeições. Esse é um bom momento para convidar seu filho a ajudar em algumas organizações maiores, como a faxina semanal.

12 a 13 anos

Essa é a fase da transição para a adolescência, o que traz a necessidade de um maior senso de responsabilidade. Os pré-adolescentes já conseguem preparar alguns alimentos sem supervisão, ajudar a cuidar dos irmãos mais novos, passar roupa e manter as suas coisas pessoais em ordem.

Nesse período, não é tão necessária a presença do adulto, pois os filhos têm autonomia para realizarem a maior parte das tarefas por conta própria.

Acima de 14 anos

A partir dos 14 anos, os adolescentes já conseguem realizar qualquer atividade doméstica sem a necessidade de supervisão. Podem também fazer algumas compras e ajudar na organização das contas da casa.

Dessa forma, se a colaboração é estimulada desde a infância, quando os filhos chegarem na adolescência, os hábitos estarão tão naturais que eles farão as atividades por conta própria. Ainda assim, caso deseje começar a estimular a colaboração com adolescentes a partir dos 14 anos, também é possível, porém, vai exigir um pouco mais de diálogo e paciência.

Nesse sentido, é interessante que as tarefas para crianças sejam estimuladas de maneira natural e prazerosa. É importante ser compreensivo, pois, muitas vezes, as coisas não ficarão em perfeita ordem, mas isso faz parte do desenvolvimento. Por esse motivo, o ideal é orientar, no lugar de brigar ou de fazer tudo por eles. Incentivar e elogiar ajuda bastante a melhorar a autoconfiança e o interesse pelos afazeres.

Como incentivar a participação dos filhos nas atividades de casa?

Quando as tarefas domésticas são apresentadas às crianças desde cedo, os cuidados começam a fazer naturalmente parte do ato de habilitar um lar. A criança entende que é preciso zelar pelos espaços da casa, deixá-los limpos, organizados e confortáveis para quando precisar utilizá-los.

No entanto, quando as tarefas domésticas são usadas apenas como forma de castigo ou obrigações, existe a possibilidade de a criança criar uma certa aversão ou até medo, ou seja, crescer associando-as a algo maçante, ruim, à margem das atividades comuns e necessárias do cotidiano.

A fim de evitar isso, existem algumas dicas que os adultos podem colocar em prática na hora de delegar tarefas para crianças dentro de casa. Conheça algumas delas!

Entenda o que mais faz parte da rotina da criança

Não precisa tentar encaixar várias tarefas na rotina dos pequenos, mesmo que sejam adequadas para as suas idades. A ideia é mostrar as atividades domésticas como momentos que fazem parte do cotidiano, assim como brincar, tomar banho, cumprir os deveres da escola e fazer as refeições.

Se seu filho terminou de usar os brinquedos, ensine que a etapa seguinte é guardá-los onde foram encontrados. Se terminou a refeição, em seguida é hora de levar a louça usada. Acima de 14 anos, caso ele se dê conta de que não há o seu biscoito preferido, pode ir ao mercadinho mais próximo e fazer a compra desse e de outros itens em falta no armário.

Crie uma rotina de participação

Como vimos, até certa idade a supervisão dos adultos é indispensável quando as crianças estão fazendo alguma atividade doméstica. O que pode ajudar ainda mais é a participação dos adultos nas mesmas atividades, dando segurança à criança, além de fortalecer os laços de comprometimento e trabalho em equipe entre os familiares.

Tire um tempo do dia para combinar junto aos filhos as tarefas que eles poderão realizar com os adultos na semana, como lavar a louça, ajudar na preparação de alimentos, fazer compras, entre outras. A rotina de participação familiariza a criança às atividades que ela só conseguirá fazer sozinha no futuro.

Torne o momento prazeroso

Transforme a execução das tarefas domésticas em um momento divertido, fazendo com que a criança não associe o esforço a sentimentos desagradáveis, que deixam tudo mais difícil.

Uma dica muito boa é colocar músicas como trilha sonora enquanto ela faz as atividades. Além disso, o momento pode ser uma ótima oportunidade para conversar, ouvir as dificuldades com os estudos, entender quais são os seus desejos e dar muito apoio.

Reconheça o esforço do trabalho bem-feito

É importante parabenizar a criança pelo esforço e dizer como o que ela fez contribuiu para ajudar a família inteira. No entanto, procure não dar recompensas por isso, pois essa atitude tira o foco da atividade e o transfere ao que será recebido em seguida — quando, na verdade, a execução da tarefa em si é o mais importante. Portanto, a melhor forma de reconhecer o esforço do trabalho bem-feito pela criança é verbalmente.

Como vimos, existem muitas tarefas para crianças que podem ser feitas com respeito ao seu tempo de desenvolvimento e sem prejudicar os seus momentos de descanso, lazer e de atividades escolares.

Tudo que aqui foi dito se aplica tanto para meninas quanto para meninos. A diferenciação nas atividades atribuídas de acordo com o gênero contribui para a reprodução de estereótipos e é uma forma de opressão às crianças. Todos, sem distinções, devem aprender a se envolver e se responsabilizar pela manutenção do ambiente em que vivem.

Por fim, vale repetir que o aprendizado se dá, em grande parte, pelo exemplo. Por isso, se querem incentivar a colaboração nas crianças, os adultos que vivem na casa também devem contribuir para a organização do lar. São hábitos que melhoram a relação da família, fortalecendo os seus vínculos afetivos.

Gostou das sugestões? Outra discussão que nasce da interação com os filhos é a importância de acompanhá-los nas atividades escolares. Veja nosso conteúdo sobre por que os pais devem acompanhar o dever de casa dos filhos e aproveite as nossas dicas!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.