Acredito que um dos pontos mais difíceis do isolamento social é que estamos sendo forçados a desacelerar. Imaginem que, há alguns meses, não tínhamos tempo para nada. A rotina de trabalho, de afazeres, estudos e atividades extraclasse ocupavam todo o nosso dia. Muitas famílias estavam acostumadas a se encontrarem uma única vez ao dia e, mesmo assim, dificilmente com todos os membros. Agora temos tempo sobrando e não estamos acostumados com isso. Não sabemos lidar com o diálogo, com o confronto e com a presença contínua. Muitas atividades eram delegadas a outras pessoas e agora estamos tendo que reassumi-las.

Talvez, o risco que corremos é de continuar querendo ocupar todo o nosso dia com uma rotina exaustiva e perder a graça desse tempo. Parar é necessário, refletir é essencial. Muitas vezes, criamos problemas por tomar decisões precipitadas. Todos os dias, recebemos uma incontável quantidade de informações, se não paramos para pensar sobre elas, não aprendemos e corremos o risco de continuar com os mesmos erros. Quando paramos para refletir, tornamos-nos capazes de uma visão mais profunda, que enxerga o que não é tão evidente sobre determinadas situações. Parar, refletir e escutar a própria voz é o princípio da sabedoria:

“A Sabedoria é resplandecentenão murchamostra-se facilmente para aqueles que a amam. Ela se deixa encontrar por aqueles que a buscam. Ela se antecipa, revelando-se espontaneamente aos que a desejamQuem por ela madruganão terá grande trabalhopois a encontrará sentada junto à porta da sua casaRefletir sobre ela é a perfeição da inteligência, e quem cuida dela ficará logo sem preocupações. Ela mesma vai por toda parteprocurando os que são dignos dela: aparece a eles bondosamente pelos caminhos e lhes vai ao encontro em cada um dos pensamentos deles.” (Sb 6,12-16)

Estamos tendo uma oportunidade ímpar de escutar as pessoas próximas e descobri-las, saber o que pensam, o que prezam, suas opiniões e desejos.

Faço a cada um de vocês uma proposta: de construir nesse tempo uma nova rotina, para ser preservada quando tudo isso passar. Que tal eleger um horário do dia, no qual todos se empenhem para estar presentes, para se olharem, para partilhar experiências e fortalecerem o sentido de família?

Tenho certeza de que essa experiência permitirá a você conhecer melhor as pessoas com quem mora. Diminuirá aquela sensação de que o tempo está passando rápido demais e você não está conseguindo acompanhar.

Boa viagem ao seu interior!

Texto de Janaína Ribeiro, agente do Serviço de Educação Religiosa do Colégio Arnaldo.

Powered by Rock Convert